Sobre o Inumeráveis

Renata Sylvia de Oliveira Pereira

1983 - 2020

Ela adorava planejar as reuniões da família. Sempre surpreendia.

Renata era uma mulher de muito amor. Para se ter ideia, ela sempre organizava as viagens em família. No ano passado, no aniversário da prima Aydil, ela organizou tudo e até levou um bolinho surpresa para o hotel. Renata tinha muito carinho pelos seus pais, cuidando-os com toda a devoção.

Das coisas da vida, a única que a Nata não gostava era café. O que mais a alegrava era fazer todo mundo rir. Era a comediante da família. Imitava o Ferdinando, personagem de Marcus Majella, como ninguém. Tinha zero papas na língua para se expressar. Foi por ser essa pessoa que cativou Cássio, seu namorado. Pretendiam se casar.

Ela amava fazer as unhas, sair para as compras, assistir séries (principalmente The Big Bang Theory). Viveu com teimosia e paixão.

“Eu vi minha prima nascer e crescer. Ela prezava demais pela família. Tive um namorado que precisou me pedir em namoro à Nata, porque ela morria de ciúmes de mim”, lembra Aydil.

Renata nasceu em Bayeux (PB) e faleceu em João Pessoa (PB), aos 36 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido pela prima de Renata, Aydil de Oliveira Barreto. Este texto foi apurado e escrito por Jornalista Josué Seixas, revisado por voluntário e moderado por Rayane Urani em 1 de junho de 2020.