Sobre o Inumeráveis

Terezinha Araujo Lima e Silva

1928 - 2020

Terezinha gostava de sentar no sofá com as netas e contar histórias.

Terezinha era uma avó parceira. Tinha carinho para dar todos os dias e distribuía para todos que estavam por perto. Foi mãe de Humberto Filho, Olga e Luiz. Do companheirismo de Humberto, seu esposo, pode-se falar bastante sobre a história que construíram durante os 64 anos de casamento.

Não reclamava de nada. De bem com a vida. Se tinha dificuldade, poderia procurar Terezinha, porque ela seria a solução ou daria a solução com as suas palavras. A neta Mariana, por exemplo, podia contar bastante com a avó. Amava ouvir as histórias dela: sentavam-se juntas no sofá e passavam a tarde conversando.

Terezinha também gostava de beneficiar a neta. Quando Mariana não ganhou um carro ao passar no vestibular, Terezinha gostava de carregá-la para todo canto que precisasse. “Shhh”, fazia. Era o segredinho das duas, as pequenas coisinhas que compartilhavam.

Com a idade, Terezinha contraiu Alzheimer. Lembrava-se de histórias esporadicamente, mas nunca esquecia alguns detalhes. Parecia que o clique da memória era ativado como um estalo. Enquanto consciente, fora a pessoa que gostava de deixar lanches no banco de trás do carro para dar aos pedintes.

E agora voltamos a Humberto. Quando ele foi hospitalizado, Terezinha sentiu muito a sua falta. Por conta do Alzheimer, o esposo era a única pessoa que lembrava com toda a certeza. Juntos, caminhavam na praia e faziam exercícios até.

Três dias depois da internação de Humberto, ela também estava sintomática para a covid-19 e foi hospitalizada no mesmo local. Um não sabia da condição do outro.

Terezinha faleceu primeiro. Quando Humberto sentiu a falta definitiva de Terezinha, cerca de seis horas depois, também teve de ir embora. Para conhecer mais da história dele, visite o memorial de Humberto Ferreira da Silva.

Terezinha nasceu em Fortaleza (CE) e faleceu em Fortaleza (CE), aos 91 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido pela neta de Terezinha, Mariana Fernandes de Oliveira Silva. Este texto foi apurado e escrito por Jornalista Josué Seixas, revisado por Rayane Urani e moderado por Rayane Urani em 23 de maio de 2020.