Sobre o Inumeráveis

Zilma de Jesus Santos

1958 - 2020

Seu sorriso evidenciava a mulher sempre alegre e cheia de vida que foi.

Esta é uma carta aberta da irmã Silma e da sobrinha Luiza para Zilma:

Zilma, sua família gostaria de deixar essa singela homenagem em forma de palavras, para que todos saibam do tamanho do amor que você era capaz de despertar.

Mirinzalense, Zilma cresceu em Aracaju com seu irmão mais velho, Tarciso, mas nunca esqueceu suas raízes, tendo muito amor pelo seu estado, o Maranhão. Apesar de morar a maior parte da vida em Sergipe, amava a cultura maranhense, o Guaraná Jesus, a farinha d'água, e costumava visitar sua família amada em São Luís e em Mirinzal.

Professora aposentada de Língua Portuguesa das redes pública e privada, era muito querida por seus alunos, que costumavam convidá-la para seus casamentos e formaturas e, por vezes, para lhes dar a sua bênção como madrinha. Sua profissão inspirou muitos e marcou a vida daqueles que aprenderam com ela, tanto em sala de aula como fora dela.

Sem filhos biológicos, criou e amou como seus os sobrinhos de Aracaju, filhos do irmão que a criou. Foi uma irmã, tia e madrinha muito amada, além de amiga presente nas vidas daqueles que, como diz o ditado, são “a família que cada um escolhe”.

Mesmo criada longe dos outros irmãos, Zilma mantinha ligação afetiva com toda a família, que a admirava e a amava intensamente. Ela era a animação de todos quando chegava com sua caixa cheia de lembrancinhas.

Dedicada àqueles que a cercavam, se ocupava em ajudar e deixar todos mais felizes, cuidando da saúde e do bem-estar dos que amava, e ainda incentivando e cooperando com seus sonhos, tanto financeira como moralmente, porque desejava ver as pessoas realizadas. Além da dedicação aos seus, Zilma gostava de fazer visitas a asilos e creches.

Em sua última visita a São Luís, para comemorar o aniversário de 60 anos de sua irmã e o carnaval, ela não pôde voltar para Aracaju devido à pandemia. No seu estado de origem, foi acometida pela doença e, apesar do tratamento recebido, nossa querida Zilma faleceu no dia 30 de abril, deixando seus amigos e familiares devastados de tristeza e saudade.

Porém, temos certeza que sua marca ficou para sempre nos corações das pessoas que conviveram com ela, que se tornou um símbolo de alegria, perseverança, dedicação e solidariedade para todos que tiveram o prazer de sua companhia.

Zilma nasceu em Mirinzal (MA) e faleceu em São Luís (MA), aos 62 anos, vítima do novo coronavírus.

Testemunho enviado pela sobrinha e pela irmã de Zilma, Luiza Santos Magalhães e Silma. Este tributo foi apurado por Lila Gmeiner, editado por Mariana Quartucci, revisado por Lígia Franzin e moderado por Rayane Urani em 28 de julho de 2020.