Sobre o Inumeráveis

Ana Inácia Gonçalves

1943 - 2020

Seu coração era do tamanho do mundo. Fazia sua neta se sentir especial, bonita e amada.

Dona Sianinha ou Dona Ana era mulher, esposa do senhor José Inácio, mãe, avó e bisavó: teve quatro filhos, nove netos e uma bisneta. Nasceu em Inhapim, uma cidade pequena em Minas Gerais, mas se mudou junto com o seu marido para Timóteo, no Vale do Aço mineiro, pois ele havia conseguido um emprego na Acesita, o que era uma expectativa de mudança de vida.

Sua vida não foi fácil, tiveram muitos altos e baixos, mas isso a construiu como uma pessoa ímpar e especial; foi moldada e lapidada para ser a mulher mais admirável de sua família.

Era daquelas avós de filme e novela. Na sua casa tinha sempre muita comida e deliciosos quitutes, eram bolos de cenoura, de fubá e de banana. Dona Ana aproveitava as bananas que seu esposo trazia da roça para fazer além dos bolos, um doce com a fruta que era abundante.

Dona Sianinha era uma senhora com muita bondade e compaixão. Pessoa humilde, tratava todos de forma igual, seu comportamento era o mesmo, seja com pessoas ricas ou pobres, estudadas ou não.

Dona Ana tinha medo de andar de carro, o que dificultava viagens longas; dessa forma não conheceu a praia e, se tivesse conhecido, saberia que mesmo com a imensidão do mar, o seu coração, que transbordava de amor, era muito maior.

Mas ela sabia aproveitar, via gosto nas coisas mais simples da vida e vivia feliz dessa forma, gostava de ir à igreja, fazer almoço, cuidar de suas plantas e conversar com todo mundo. Sua simplicidade ensinou à neta Camila que a maioria das pessoas buscam a felicidade de maneira errada, vivendo em uma constante corrida desenfreada para completar “o que falta”, sendo que, para ela, a felicidade morava nas coisas simples.

Ana nasceu em Inhapim (MG) e faleceu em Coronel Fabriciano (MG), aos 77 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido pela neta de Ana, Camila Araújo Nascimento. Este texto foi apurado e escrito por Jornalista Iasmim Almeida Lamounier, revisado por Lígia Franzin e moderado por Rayane Urani em 12 de setembro de 2020.