Sobre o Inumeráveis

Aparecido Dias da Silva

1946 - 2020

Adorava contar suas histórias de pescador.

Nascido no Paraná, viveu num orfanato dos 7 aos 17 anos. Trabalhava como auxiliar num restaurante que ficava perto de uma pracinha. Foi lá que conheceu Laudemila. O pai da moça vendia madeira e ia até o Paraná para buscar o produto. Sempre levava a família toda nessas viagens e, numa delas, os dois se conheceram nessa mesma pracinha e, na próxima viagem feita por Geraldo, o pai de Laudemila, o jovem Aparecido mudou-se para São Gonçalo, para se casar com a amada. Juntos, os dois construíram uma família grande, composta de sete filhos, 14 netos e quatro bisnetos.

Sempre teve nos pais da esposa, os seus próprios. Chegou a conhecer a mãe quando era mais jovem. Depois, conheceu também uma irmã, alguns tios e tias, mas não tiveram muito contato. Ele já havia criado a família que queria.

Aparecido acabou seguindo os passos profissionais do sogro. Ingressou no mesmo ramo e foi muito feliz na madeireira, onde ficou até o pai de Laudemila falecer. Quase que na mesma época, surgiu uma proposta de emprego numa empresa de venda de tratores, em Varginha (MG). Como a família era grande e precisava de recursos, esse foi o destino da família. Aparecido juntou a família, e se mudou para a nova cidade, onde se adaptou muito bem.

Nunca bebeu, mas sempre ficava até tarde com os filhos e netos nas festas de família. Arrancava gargalhadas de todos com seu jeito brincalhão. Adorava contar piadas e as famosas histórias de pescador que, aliás, era uma das coisas que ele mais amava na vida. Deixava um rastro de alegria por onde passava. Tinha o dom de cativar as pessoas.

O grande amor da sua vida era a esposa. Foram casados por cinquenta e quatro anos. Dona Laudemila faleceu de covid-19 e seu Aparecido não aguentou de saudade, partindo dez dias depois.

A família está morrendo de saudade, mas do lado de lá, seu Aparecido deve estar ao lado da amada, se divertindo e contando suas histórias de pescador.

A história da esposa de Aparecido também está guardada neste memorial, e você pode conhecê-la ao procurar por Laudemila de Sousa Silva.

Aparecido nasceu em Campos Novos Paulista (SP) e faleceu em Varginha (MG), aos 73 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido pela neta de Aparecido, Fernanda de Sousa Petrim. Este texto foi apurado e escrito por Jornalista Bárbara Aparecida Alves Queiroz, revisado por Lígia Franzin e moderado por Rayane Urani em 31 de agosto de 2020.