Sobre o Inumeráveis

Arthur Rocha Silva

2000 - 2020

De todas as formas e cores, como um arco-íris, iluminava e ilumina a todos.

Ser humano incrível que se tornou, era admirado por todos que o conheciam. Munido de inteligência, foi aprovado em segundo lugar no Centro Universitário do Estado do Pará e em sexto lugar na Universidade Federal do Estado do Pará no curso de Ciências da Computação. E como tudo na vida é feito de escolhas, abriu mão de alguns objetivos para conquistar outros. Para estudar onde desejava, abriu mão do sonho de ter seu carro próprio.

Desapegado aos bens materiais e muito generoso, fez intercâmbio voluntário na Argentina entre 2018 e 2019, onde passou 60 dias dando aulas de inglês para crianças em situação de vulnerabilidade.

Arthur era irradiante como um sol, ou melhor era uma mistura de sol e chuva, assim como o arco-íris que separa a luz do sol em seu espectro contínuo quando o sol brilha sobre gotículas de água suspensas no ar, transformando em um arco multicolorido. Ele poderia facilmente ser comparado com um arco-íris, pelo incrível jeito que tinha de iluminar a todos ao seu redor. Ele era o amigo conselheiro para todas as horas, quando a vida parecia sombria Arthur conseguia iluminar e iluminava de todas as formas.

Mesmo após sua partida, seus amigos continuam frequentando a casa onde morava com os pais, visitam seus pais, dormem lá, até parece que Arthur continua lá, e de fato continua, apenas sua matéria se foi. Dias antes de sua partida, nas redes socias, Arthur compartilhou um trecho da série "Glee" cantando a música "If i die yong", em uma das estrofes, traduzida, da música diz: “Senhor, faça-me um arco-íris, vou brilhar sobre minha mãe” e em uma dessas visitas o arco-íris apareceu resplandecente no céu.

A mãe Lilma, relata carinhosamente que ele desde criança era meigo e de sorriso doce. Era seu amigo, seu cúmplice e que tinham uma ligação muito forte.

Arthur nasceu em Belém (PA) e faleceu em Belém (PA), aos 19 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido pela mãe de Arthur, Lilma Rocha Silva. Este texto foi apurado e escrito por Lucas Cardoso, revisado por Mateus Teixeira e moderado por Rayane Urani em 31 de dezembro de 2020.