Sobre o Inumeráveis

Celso Azis Antonio

1951 - 2020

Carinhoso, tinha sempre uma surpresa no bolso para dar à neta.

Celso foi um homem extraordinário, da paz e que fazia de tudo pela família. Dentre várias outras coisas, foi um super pai, padrasto e avô. Ele foi o melhor amigo do filho Fábio, um "paidrasto" maravilhoso para Alessandra e um avô apaixonado pela neta Letícia, filha de Alessandra.

Louco por futebol, quase nada conseguia tirar sua atenção no momento do jogo, exceto sua neta tão querida. Os dois tinham uma conexão fora do normal e ele a mimava fazendo-lhe todas as vontades.

Todas as vezes que chegava à pracinha onde Letícia brincava, ela sempre parava o que estava fazendo para abraçá-lo. Junto com a neta ele até se esquecia que tinha problema no coração: corriam, pulavam, dançavam "Ciranda cirandinha", cantavam a música "Arco-íris" da Xuxa e brincavam de fantasma (Celso ficava com um pouco de falta de ar por colocar o lençol sobre a cabeça, mas nem se importava).

No primeiro dia de aula da neta estava lá, todo orgulhoso, como sempre. Dizia que Letícia era uma joia.

Hoje a família sofre de saudade, mas todos os momentos que passaram juntos estarão para sempre guardados no coração e na memória de todos que o amavam.

“Foram 14 anos de convivência. Agradeço a Deus por termos tido o prazer conhecê-lo. Não queria que ele parasse de ser meu padrasto, mas a vontade de Deus foi mais forte e ele foi se encontrar com a mãe e o irmão, que devem estar muito felizes com sua chegada. O céu sem dúvida está em festa com aquele sorrisão. Me dói muito pensar que nunca mais vou vê-lo e que ele não vai ver Letícia crescer, mas sei que está em paz, descansando e, acima de tudo, muito feliz. Tenho fé que tudo isso vai passar... Felizes são aqueles que creem sem ver. Te amo!”, desabafa a enteada Alessandra.

Celso nasceu no Rio de janeiro (RJ) e faleceu no Rio de Janeiro (RJ), aos 69 anos, vítima do novo coronavírus.

Testemunho enviado pela enteada de Celso, Alessandra Calazans Lorenzoni. Este tributo foi apurado por Janaina Dias, editado por Andressa Cunha, revisado por Paola Mariz e moderado por Rayane Urani em 10 de junho de 2020.