Sobre o Inumeráveis

Evardo Rosa

1936 - 2020

Foi e sempre será um exemplo de resistência e luta por um mundo mais justo e democrático.

Esta é uma carta aberta da bisneta Nina para seu bisavô, Evardo:

A gente não conviveu o suficiente, a gente não conversou o suficiente. Não deu tempo de ouvir suas histórias, nem de aprender a lutar como você. Se eu soubesse, teria feito diferente.

Mesmo sem termos conversado, toda a sua força e garra pra lutar, combater um regime militar, e persistir lutando todos os dias pelos seus direitos no regime democrático, que eu já nem sei mais dizer se está democrático, chegou pra mim, pelo sangue.

A primeira lembrança que eu tenho sua é de quando você perdeu boa parte da audição no protesto em Brasília. Era o comecinho do governo Temer. Eu, orgulhosa do meu bisavô, contei pra todo mundo no colégio.

Eu tinha encontrado um grande exemplo de resistência, dentro da família. Como te perdi rápido!

"Uma dor assim pungente não há de ser inutilmente". Não será.

No seu último dia por aqui, eu estava com sua filha, seu genro e sua neta, sentada, vestindo o moletom da faculdade. Fiz questão do moletom, porque toda vez que eu usá-lo, lembrarei de você e do compromisso de sempre honrar sua luta. Foi pela luta que eu escolhi esse curso. Seguirei lutando. Dizem que é na luta que a gente se encontra, então te encontro lá.

Te amo. Te admiro. Cuida da gente daí de cima! Beijo!

-
Do Mato Grosso direto para o Parque Peruche, São Paulo.

Biju, como ficou conhecido, mesmo tendo a terrível dor de perder os pais na infância, após vir para a capital se tornou funcionário público federal. Linha de frente do seu tempo!

Militou em prol de sua categoria, marchou a favor das Diretas e contra um país sucumbindo à ditadura. Após sua aposentadoria, tornou-se Diretor do Sinsprev.

Casado. Pai de quatro filhos, sete netos, quinze bisnetos e um tataraneto. Companheiro. Amigo. A personificação da disposição e persistência.

Pelo olhar de sua filha, Célia: “Te perdemos cedo. Não tivemos tempo suficiente, e nunca é suficiente. Te amamos, cuida da gente!”

Na linha de frente da eternidade, EVERARDO ROSA PRESENTE!

Evardo nasceu em Campo Grande (MS) e faleceu em São Paulo (SP), aos 84 anos, vítima do novo coronavírus.

Testemunho enviado pela bisneta de Evardo, Nina Rosa Soares. Este tributo foi apurado por Carla Cruz, editado por Alessandra Capella Dias, revisado por Lígia Franzin e moderado por Rayane Urani em 4 de julho de 2020.