Sobre o Inumeráveis

Geni da Silva Valeriano

1942 - 2020

Seu companheirismo e dedicação à família deixaram saudades.

Geni nasceu em uma família numerosa. Como os pais não podiam cuidar dela, aos 8 anos de idade, Geni foi morar na casa de uma família abastada. Em troca de cuidados e alimentação, Geni ajudava nas tarefas domésticas e tomava conta das crianças da casa. Viveu ali até casar-se com Wilson quando tinha 18 anos e ele 20.

Juntos formaram uma família. Mudaram-se para Ipatinga (MG), tiveram cinco filhos e terminaram seus estudos. Quando pequenas, as crianças ficavam sozinhas brincando em casa, enquanto os dois partiam para as aulas noturnas do ginásio ou do ensino médio. Wilson e Geni foram inseparáveis em vida.

Geni era considerada pelos familiares e amigos uma rainha, sempre amorosa, filha dedicada, mãe extremosa, amiga de todos, exemplar, generosa e cidadã participativa. Ela era o elo entre os familiares: pais, irmãos e sobrinhos que frequentavam a sua casa. Era meio mãe dos sobrinhos e esteio das suas irmãs.

Geni e Wilson se separaram, mas nunca deixaram de ser amigos e companheiros. Passavam os finais de semana juntos e viajavam juntos para visitar os filhos.

Geni era a imagem da serenidade e firmeza. Durante 20 anos, sua vida foi cuidar do segundo filho, que sofria de transtornos mentais. Quando ele faleceu, aos 39 anos, ela se viu sem chão. Conseguiu se reinventar nas aulas de ética e filosofia, na Universidade da Terceira Idade, e nas muitas atividades dos grupos de terceira idade que frequentava (MOTI e Laços). Participava de aulas de dança, oficinas de escrita, canto e interpretação.

Protestante, era pouco convencional. Adorava música, escrevia e até compunha raps. Conhecia até mesmo Racionais, MCs e CPM22. Gostava de ler autores que iam desde Machado de Assis até os mais modernos. Nas horas vagas, fazia palavras cruzadas.

As pessoas se impressionavam com as qualidades daquela mulher, de jeito simples e cativante. Onde chegava, Geni preferia ficar calada num cantinho, observando, mas acabava arranjando um pretexto para puxar uma boa conversa ou tinha um conselho sábio para dar. Era o orgulho da família.

No aniversário de 78 anos, completados em 2020, Geni recebeu a visita de Wilson. Era pra ser uma daquelas visitas de beija-flor, mas, Wilson não sabia que estava contaminado pela Covid-19. Geni, mesmo estando há mais de noventa dias em quarentena, cuidou dele, como fazia com todos. O nome dela era abnegação. Deixou 4 filhos, 6 netos, 1 bisneto e muita saudades.

Geni foi vítima da Covid-19 seis dias depois que Wilson se foi. A história dele também está neste Memorial, para conhecer procure por Wilson Valeriano da Silva.

Geni nasceu em Galileia (MG) e faleceu em Coronel Fabriciano (MG), aos 78 anos, vítima do novo coronavírus.

Testemunho enviado pelo filho de Geni, Stanley Valeriano da Silva. Este tributo foi apurado por Andressa Vieira, editado por Marcelle Trote, revisado por Juliana Holzhausen e moderado por Rayane Urani em 5 de agosto de 2020.