Sobre o Inumeráveis

Jorge Gomes Gonçalves

1967 - 2020

O flamenguista mais sonhador.

Gordinho, como era chamado carinhosamente pela família ou Jorginho, como era conhecido pelos amigos, era uma pessoa com muitos planos, bacharel em direito e funcionário público. Um homem humilde, íntegro, honesto e muito humano, respeitava a opinião e os gostos do próximo.

Amava quando a família estava toda reunida, para fazer churrasco e tomar uma cervejinha. Pai de quatro filhos, os quais tem muito amor, orgulho e admiração por ele. Estava se esforçando muito para passar no exame da Ordem e então poder abrir um escritório de advocacia junto com dois de seus filhos, que assim como ele são formados na área. Torcedor do flamengo, quando era mais novo, gostava muito de jogar futebol.

Muito compreensivo e gentil, era muito inteligente e gostava de conversar sobre política. Junto com seus irmãos, trabalhou com jornal na cidade de Porto Grande, algo que gostava muito, depois passou no concurso em Macapá, onde se instalou e construiu sua família. Porém, ainda ia bastante para Porto já que sua mãe mora lá e era proprietária de um terreno que fica às margens do Rio Araguari, o qual ele contava muitas histórias de forma amorosa e carinhosa, visto que era apaixonado pelo mesmo.

Mostrava como seu coração era tão lindo através das idas à tarde juntamente com o seu filho Henrique na locadora de jogos e pacientemente o esperava escolher qual jogo queria, também nas idas ao Sr. Waldir para cortarem o cabelo e ainda mais, de uma forma especial, naquela conversa que os dois tiveram em 2012, onde ele disse sabia que seu filho era diferente, mas que não tinha problema porque era seu filho e que ia amá-lo independentemente de qualquer coisa, disse também que ele era livre pra amar quem ele quisesse e depois disso choraram juntos, nem precisou de mais palavras para eternizar aquele momento tão significante, importante e único.

Partiu sem realizar alguns de seus sonhos, mas deixou muitas lições, a principal delas foi a generosidade dos sentimentos. Ele dizia: “Verbalize o sentimento e ele será patrimônio de muitos.” conta seu filho Henrique, que acrescenta que era seu fã número um e se caso ele tenha errado com o pai, falhou o amando e que se nessa vida ou em outras pudesse escolher, escolheria ser seu filho em todas às vezes.

Bondoso, carinhoso, inteligente e depois de umas cervejas era praticamente um humorista, será sempre lembrado dessa forma. Um de seus grandes desejos era ganhar na loteria, mas mal sabia que quem ganhou muito além de um prêmio da loteria, foram às pessoas que tiveram o privilégio de conhecê-lo e conviver com ele, o prêmio veio em forma de algo que dinheiro nenhum é capaz de comprar, veio em forma de amor.

Já que saudade é o amor que fica, com ter certeza eternamente sentiremos muitas saudades.

Jorge nasceu em Santana (AP) e faleceu em Macapá (AP), aos 52 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido pelo filho de Jorge, Jorge Henrique Almeida Gonçalves. Este texto foi apurado e escrito por Bianca Ramos, revisado por Lígia Franzin e moderado por Bianca Ramos em 11 de maio de 2020.