INUMERÁVEIS

Memorial dedicado à história
de cada uma das vítimas do
coronavírus no Brasil.

Amapá

Albertino Fonseca Bacelar, 87 anos

Primeiro ele aprendeu a cultivar a terra; depois, a cultivar as palavras: era uma enciclopédia ambulante.

Aldenice Quaresma Uchoa, 45 anos

Aluna com garra, que sabia lutar pelo que acreditava ser certo.

Alzira dos Santos Marreiros, 73 anos

Foi uma mulher de fibra, de princípios e atitudes que a faziam gigante, principalmente no coração.

Alziro Lobato da Silva, 79 anos

Sua marca registrada foi a satisfação que proporcionou aos que o ouviam tocar “As Andorinhas” com a fiel guitarra.

Ana Cláudia de Souza Ferreira, 53 anos

Apaixonada pelos pais e sobrinhos, seu coração batia forte quando o Flamengo entrava em campo.

Ana Michelli Pereira Ferreira, 36 anos

Aquariana pra lá de arretada. Sempre risonha e divertida, falava alto e não era de levar desaforo pra casa.

Ana Raquel Oliveira da Costa Possas, 70 anos

Cativava a todos com seu sorriso e sua elegência.

Antenor Lobato Nunes, 76 anos

Com alegria e maestria, construiu embarcações que transportavam gente e esperança pelos rios do Norte do país.

Antônio Everaldo Pinho de Lima Júnior, 39 anos

Com seu jeito galanteador, entrou solteiro no hospital para fazer uma cirurgia e saiu de lá casado.

Armando do Rosario de Oliveira, 57 anos

Foi um ser humano normal, um pai, um avô e um amigo.

Bazilia Ferreira Brito, 85 anos

Mulher guerreira e cristã que, com sua firmeza, dizia o que pensava.

Braulino de Oliveira Gomes, 88 anos

Com suor e tijolos, deixou um belo legado histórico. Mas foi com histórias e amor, que se eternizou.

Carlos Roberto da Silva Amorim, 59 anos

Construiu muitos edifícios em vinte anos de vivência no Amapá.

Daízes de Souza Pantoja Oliveira, 79 anos

Uma mulher única. Fez do seu abraço um lar e, na mesa, multiplicava o bolo para que não faltasse a ninguém.

David Nunes Furtado, 28 anos

Nas horas vagas, gostava de sentar-se ao lado da irmã para tomar um cafezinho e falar sobre o futuro.

Edwilton de Oliveira Leite, 29 anos

Um amado anjo que só queria prestar sua valiosa ajuda e curtir suas paixões. Um sorriso de luz que fará falta.

Ely da Paixão Ferreira de Sousa, 79 anos

Seu conhecimento da vida era tão grande quando sua força, sua alegria e o amor que distribuía em abundância.

Francisco Fernandes dos Santos, 78 anos

Tinha mania de dar comida para os cães da rua. Alguns tinham a sorte de ir morar em sua casa.

Frederico Cesar Simões Dias, 44 anos

Dr. Fred ficou conhecido por sua humanidade, o amor pelo seu belo trabalho e carinho com seus pacientes.

Herculano Wanderlin da Silva Gibson, 72 anos

Um avô muito especial para os seus netos.

Jairo Dornelles da Silva Sales, 34 anos

Guardava momentos, não dinheiro.

Jessica Duarte de Morais Pontes, 25 anos

Uma bailarina angelical que iluminava os palcos com sua alegria e seu sorriso.

João Brazão da Silva Neto, 76 anos

Amapaense e ribeirinho do Aporema, sempre ensinou que os estudos são as portas para o mundo.

João Trindade Borges, 65 anos

O homem que calculava tinha um amor imensurável pela mãe.

Jorge Gomes Gonçalves, 52 anos

O flamenguista mais sonhador.

José Eufrazio Cardoso, 72 anos

Pai orgulhoso, comemorava cada conquista e gritava aos quatros cantos da cidade: "Foi minha filha que fez!"

José Maria Pinheiro do Rosario, 64 anos

Tinha confiança que tudo iria dar certo. Sempre alegre e extrovertido.

José Mendes da Silva, 68 anos

Apaixonado por peixe assado com açaí; o verdadeiro açaí com farinha, que preparava para o almoço todos os dias.

José Pinheiro dos Santos, 80 anos

Seu legado está posto para todos, construído ao longo dos seus 80 anos de existência.

José Renato Sousa dos Santos, 35 anos

Brincalhão e sempre disposto a ajudar, tinha um coração de menino e não descuidava nunca dos que amava.

Juraci Silva de Lima, 53 anos

Era considerada como uma mãezona pelos colegas de profissão, a quem aconselhava, animava e confortava.

Lauane Monteiro Gentil, 40 anos

Sua presença era sinônimo de muita alegria e diversão.

Lindalva Souza de Brito, 69 anos

Sua amorosidade, em conjunto ao lindo sorriso com dentes separados, encantava todos a sua volta.

Luis Hildo Brito do Vale, 68 anos

Um molecão de coração enorme e que foi um exemplo para todos os seus.

Manoel Borges Saraiva, 36 anos

Carismático, brincalhão e inspirado nos ensinamentos de Cristo, colocou em prática o amor ao próximo.

Manoel de Jesus Miranda da Cruz, 53 anos

Um herói sem capa, mas não sem causa.

Manoel Ferreira Machado, 94 anos

Acreditava que a cura estava no amor e na paciência.

Marcos Vinícius de Deus Brito, 45 anos

Policial Militar e cristão exemplar, será para sempre o herói da pequena Ana Laura.

Maria de Nazaré Sampaio Pereira, 53 anos

Como mãe ensinou aos filhos a se manterem erguidos e sempre seguirem em frente.

Maria Dolores da Costa Trindade, 87 anos

Dona de um coração onde sempre cabia mais um.

Maria Lizete Bezerra de Carvalho, 58 anos

Uma vida a ensinar aos seus e ajudar as pessoas.

Mauro Lucio Lima Sobrinho, 44 anos

De sorriso leve, como a brisa que lhe acarinhava o rosto, enquanto, com os pés na areia, contemplava o mar.

Moacyr da Silva, 57 anos

O melhor parceiro de dança, com um coração do tamanho do carnaval.

Nádia de Nazaré de Souza Barbosa, 48 anos

Uma mãezona não só para seus filhos, mas para os amigos, parentes, vizinhos e para os próprios pais.

Nair Monteiro Gomes, 64 anos

Vaidosa em seus vestidos coloridos, ajudava a todos e alegrava-se ao falar da família e dos amigos.

Natacha Heneryne Cantuaria Figueiredo, 24 anos

Encantava todos com sua doçura, era focada e segura no que queria. Dava o seu melhor sempre.

Raimundo Coelho da Silva, 72 anos

Tinha cheiro de café, abraço apertado e bondade infinita.

Raimundo Osmundo Barbosa, 74 anos

Sempre foi um benzedor, um curador de almas perseguidas pelo incompreensível. Aliviava tormentos e dores.

Raimundo Rosa Maciel, 82 anos

Com o seu jeito simples, despertava o mais complexo sentimento: o amor.

Rosalio de Jesus Seixas Tavares, 65 anos

Assim como o oxigênio com que trabalhava, ele era um sopro necessário e alegre de ar fresco.

Rui José Chaves de Oliveira, 50 anos

Enviado de Deus, era o pastor que dedicou a vida para cuidar de suas ovelhas.

Thaian Samir Assunção Espíndola, 36 anos

Só dava ele em todas as festas da família. Era o mais alegre e falante, além de ser o contador oficial de piadas.

Ubiracildo da Silva Macêdo, 55 anos

Dono de um sorriso e de um carisma contagiantes. Sua falta será sentida por todos.

Valdiani do Socorro da Costa Palheta, 41 anos

Trazia no rosto um sorriso lindo, que sempre estava ali para dar conforto quando algo não ia bem.

Vitalina Brazão Almeida, 72 anos

Uma mulher virtuosa. Dona de uma fé inabalável e de um coração generoso.

não há quem goste de ser número
gente merece existir em prosa