Sobre o Inumeráveis

Kepler Araújo Silva

1976 - 2020

Seu jeito especial continuará vivo em cada um dos que o conheceram.

Kepler nasceu em Irecê e residiu em Jussara, duas cidades da Bahia. Aos 17 anos se mudou para a Paraíba, onde estudou Farmácia e Bioquímica. Já formado, foi para Aracaju (SE), lugar em que trabalhou como farmacêutico na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes e no Cemar. Foi também na capital sergipana que Kepler formou sua família: conheceu sua mulher Maria Adriana, com quem era casado havia 17 anos, e teve suas duas filhas – de 8 e 13 anos.

As mudanças de cidade levaram “Kepinho” – como sua esposa o chama carinhosamente – ao lugar em que sempre quis estar e a ter a vida que sempre quis. Constituir um lar, dedicar-se ao trabalho, à família e à religião. Nas palavras de Maria, essas coisas eram a “sua joia principal”. A Igreja era parte fundamental disso. Kepler se dedicava a conhecer e progredir por meio dos ensinamentos cristãos. A passagem ”porque para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro” (Filipenses 1:21) fazia seus olhos brilharem todas as vezes que a lia, assim como outras de Paulo na Bíblia – as suas favoritas.

Um exemplo de pai, sempre presente e disposto a tudo pelas suas filhas. Os momentos juntos foram marcados pela sua alegria e jamais cairão no esquecimento. Para a esposa, um marido sempre dedicado e cuidadoso. Como filho, não foi diferente. Atencioso, amoroso e apegado à sua mãe. Kepler fazia questão de zelar por todos aqueles com quem se importava: familiares, amigos, colegas de trabalho. No dia de sua partida, as palavras de todos aqueles que Kepler marcou em vida emocionaram e confortaram Maria. “Ele fez história em cada coração com o seu jeito meigo e cativante”, contou.

Era animado, gostava de fazer gracinhas, brincadeiras, principalmente no ambiente de trabalho. Amava divertir quem estava à sua volta. Estava dedicado a aprender constantemente e a compartilhar o conhecimento que adquirira com os mais próximos. Nas conversas, amava contar histórias, sejam elas bíblicas ou sobre a sua infância no interior. Prezava ser reconhecido como uma boa pessoa, e de fato é. Kepler será lembrado sempre com carinho e ternura. As memórias de todos aqueles que o conheceram em vida jamais permitirão que toda a sua grandeza seja esquecida; continuarão o legado deixado por ele, repleto de bondade e simpatia.

Kepler nasceu em Jussara (BA) e faleceu em Aracaju (SE), aos 44 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido pela esposa de Kepler, Maria Adriana Santos Araújo. Este texto foi apurado e escrito por Jornalista Gabriela Luise Santos Rosa, revisado por Otacílio Nunes e moderado por Rayane Urani em 19 de setembro de 2020.