Sobre o Inumeráveis

Maria Izabel dos Santos de Jesus

1941 - 2020

Doce como açúcar, forte como uma rocha. Bebel era assim, um encanto de gente.

Bebel. Assim era carinhosamente chamada pelos que a amavam.

Mãe de dez filhos, ficou viúva muito cedo, aos 47 anos. Apesar disso, batalhou e conseguiu criar os filhos no caminho do amor e da justiça. Ensinou-lhes que a maldade podia ser atraente, mas apenas a bondade levava a vitórias honestas. Lutou para dar aos filhos o melhor de tudo. Trabalhou bastante e não se arrependeu de nada: graças à educação de Bebel, os filhos cresceram valorizando as coisas simples da vida, e muito orgulhosos da mulher que tiveram a sorte em poder chamar de mãe.

Bebel tinha muitos amigos. Viveu na mesma rua desde moça e conhecia toda a vizinhança, que aos poucos se tornou família. Simples e humilde, seu carinho conquistou muitos corações. Sempre havia uma vizinha para tomar um café, uma amiga para conversar na calçada, um abraço caloroso que ela recebia de alguém. A casa e o coração estavam sempre cheios.

Religiosa, gostava muito de ir à igreja. Frequentava e participava de todos os movimentos da capela Santa Cruz, no bairro Siqueira Campos. Era devota de santa Rita de Cássia e, assim como a santinha, não abria mão de ajudar o próximo. Ajudava quem precisasse e intercedia por todos que amava.

Bebel deixa saudade em todos que tiveram a felicidade de conhecer a mulher alegre, forte e bondosa que foi. A casinha mais visitada do bairro agora está silenciosa, o café e o papo na calçada fazem falta. Maria Izabel agora faz companhia a quem sabe, assim como ela, que o impossível acaba se realizando quando a gente pede com um pouco de jeitinho e muita fé. Santa Rita de Cássia agradece a ajuda da dona do sorriso mais contagiante e do amor mais exagerado da rua Bahia.

Maria nasceu em Aracajú (SE) e faleceu em Aracajú (SE), aos 79 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido pela nora de Maria, Francisca Edelmania Cavalcante. Este texto foi apurado e escrito por Jornalista Bárbara Aparecida Alves Queiroz, revisado por Acácia Montagnolli e moderado por Rayane Urani em 18 de março de 2021.