Sobre o Inumeráveis

Maria Lucia dos Santos

1958 - 2020

No dia em que o filho lhe apresentou seu namorado, Mãe Lucinda até dançou na chuva, de tanta felicidade.

O apelido "Mãe Lucinda" foi dado pelo filho Alex, retirado de uma personagem de novela. Inicialmente, era utilizado para irritá-la, mas, depois, ela mesma já não se incomodava e até achava graça.

Uma mulher de muitos afazeres, que trabalhou como doméstica, metalúrgica, cozinheira e dona de casa, até que veio a sonhada aposentadoria. Nas horas livres, ora ela saía para evangelizar, ora assistia a séries inteiras, como CSI. Divertia-se também ouvindo músicas antigas dos anos 80, black music e cantores como Lionel Richie e Diana Ross.

Ela nunca chegou a se casar, mas teve os filhos Ana Paula e Alex como frutos de uma mesma relação amorosa, e a eles procurou sempre oferecer tudo de melhor, e os encorajava a nunca desistirem diante dos problemas da vida.

Maria Lúcia cuidava de Isabel, a única neta que conheceu, e as duas eram muito ligadas. Uma era o amor da vida da outra. A avó ensinou à neta boa parte de tudo que ela sabe. As duas brincavam e brigavam muito, mas não se largavam e, às vezes, chegavam até a dormirem juntas, hábito que hoje faz muita falta na vida da neta.

Ela era conhecida por sua personalidade forte e sinceridade absoluta. Era a estrutura da família, cuidando, aconselhando e brigando quando preciso. Por isso tudo, tornou-se muito admirada por todos.

Era sempre muito justa, e uma das histórias que deixou boas lembranças na memória da filha Ana Paula foi seu último aniversário. “A vi ser feliz junto de sua mãe, que morreu 13 dias antes dela, também por Covid-19. Ela conheceu o namorado do filho e o recebeu com carinho. Dançou na chuva. Nunca vi minha mãe tão feliz... Naquele momento, ela parecia agradecer por ter vivido”, conta.

Ana Paula continua rememorando essa data: “foi no mês anterior à morte dela que meu irmão revelou que era homossexual e trouxe seu namorado para ela conhecer. Ela foi a melhor mãe, passou por cima de preconceito, de religião, de tudo, e somente o aceitou. Foi um dos dias mais lindos, em que vi minha mãe e meu irmão mais felizes”.

A família era muito unida, e muitas foram as noites em que conversavam e riam das coisas que aconteciam durante o dia, rindo um riso que os aliviava das tensões da vida, que os aproximava cada vez mais e tornava mais leves os dias seguintes.

Para os filhos, Maria Lúcia foi o exemplo de mulher honesta, trabalhadora, mãe maravilhosa e avó cuidadosa que, ao partir, deixou uma mistura de completude por tudo que lhes ensinou e de incompletude pela falta que ela faz em suas vidas.

Maria nasceu em Rancho Alegre (PR) e faleceu em Jundiai (SP), aos 62 anos, vítima do novo coronavírus.

Testemunho enviado pela filha de Maria, Ana Paula. Este tributo foi apurado por Rafaela Teodoro Alves, editado por Vera Dias, revisado por Elias Lascoski e moderado por Rayane Urani em 21 de novembro de 2021.