Sobre o Inumeráveis

Moacyr Marinho Esteves

1952 - 2020

Alma de criança num homem de sorriso lindo, com sonhos, histórias, nomes no diminutivo e amor no aumentativo.

Mais conhecido como Pelego, tinha um coração de criança e assim tratava os filhos e sobrinhos.

De origem humilde, construiu sua família ao lado da esposa Marta, com quem teve quatro filhos: Marílson, Marilda, Lúcia e Mateus. A família aumentou com os cinco netos que alegravam mais ainda a vida desse homem de espírito jovem.

A sobrinha Clidia conta que o tio era rico... em amor, simpatia e vida. Amava a vida, os filhos, prosear e contar causos. "Tio Moacyr adorava contar histórias de sua infância, de onde surgiam muitas traquinagens. Ouvíamos também sobre as pescas no mangue, que foi nosso quintal por muitos anos. Lembranças inesquecíveis das memórias de criança, junto com meus primos. Vivíamos em frente ao manguezal, em Porto Seguro, e meu tio não deixava faltar siri. Todos os dias, vinha com um sorriso encantador falando: 'olha o siri'. Sempre me lembrarei dele como uma criança grande, cheia de sonhos e histórias."

Seu maior sonho era ver os filhos felizes. Moacir era muito carinhoso, tratava todos no diminutivo, como uma forma amável de demonstrar sua gentileza.

Por volta de 2013, quando se aposentou, Pelego saiu da região nordeste para o sudeste. Serra foi a cidade escolhida, no Espírito Santo, e teve um bom motivo: ficar perto da família da esposa.

Seu sorriso era sua identidade e o otimismo uma marca registrada. "Não consigo lembrar de nada que ele não gostasse. Tudo sempre o agradava, estava lindo e bom. Nunca, nos meus 45 anos, vi o tio triste. Muito pelo contrário, sempre que nos encontrávamos, já avistava aquele belo e largo sorriso no rosto", conta Clidia.

Por sua forma de encarar a vida, com alegria, amor e pensamento positivo, acreditava a sobrinha que ele não partiria tão cedo. Mas o vírus interrompeu seus sonhos, suas histórias, seu sorriso. Clidia despede-se afirmando que nada disso sairá de suas lembranças. "Tio, seu sorriso sempre estará guardado comigo!"

Moacyr nasceu em Porto Seguro (BA) e faleceu em Serra (ES), aos 75 anos, vítima do novo coronavírus.

Testemunho enviado pela sobrinha de Moacyr, Clidia Esteves Torres. Este tributo foi apurado por Lígia Franzin, editado por Denise Pereira, revisado por Lígia Franzin e moderado por Rayane Urani em 28 de julho de 2020.