Sobre o Inumeráveis

Nádia de Nazaré de Souza Barbosa

1971 - 2020

Uma mãezona não só para seus filhos, mas para os amigos, parentes, vizinhos e para os próprios pais.

A postura da Nádia em relação à vida era de doação, entrega e amor ao próximo.

“Em todos os relatos que li, nas redes sociais, as pessoas comentam a mesma coisa: como ela era acolhedora, dona de um sorriso fácil e iluminado, alguém do bem”, conta o marido Sérgio.

Nádia se preocupava com os outros a ponto de, enquanto não via o problema ou a aflição do próximo resolvida, não conseguia ficar tranquila. “Era uma verdadeira mãezona”, diz ele.

-

Artesã na arte de cuidar. Gostava de dançar e sempre animava todas as festas.

Era uma estrela, um ser de luz que iluminava todos à sua volta, conta a cunhada Regina.

Para os pais idosos, Nádia foi uma filha amorosa.

Para Sérgio Cleber, o amor de sua vida, foi a esposa dedicada.

Para os quatro filhos, os BBB’s, Bruce, Breno, Bruno e Bruna, foi a mãe, dona de um amor infinito. A cunhada Regina lembra que Nádia não hesitou em deixar sua vida profissional para estar exclusivamente com sua família.

Era uma verdadeira artesã no cuidado e na culinária. Dona de uma alegria expansiva, sempre animava todas as festas. Com seu jeito de ser, Nádia construiu seu legado de amor, o qual “nunca esqueceremos”, diz Regina, que encerra: “Ah, Nádia, quanta saudade você deixou!

Nádia nasceu em Serra do Navio (AP) e faleceu em Macapá (AP), aos 48 anos, vítima do novo coronavírus.

Testemunho enviado pelo marido e pela cunhada de Nádia, Sérgio Cleber de Souza Barbosa e Regina Alves da Cunha Nunes. Este tributo foi apurado por Lila Gmeiner e Carla Cruz, editado por Ticiana Werneck e Rosimeire Seixas, revisado por Juliana Holzhausen e Lígia Franzin e moderado por Rayane Urani em 12 de agosto de 2020.