Sobre o Inumeráveis

Orlando Gonzalez Fernandez

1937 - 2020

Sempre radiante, era conhecido por sua gentileza, pela dedicação à família e paixão pela homeopatia.

Orlando dedicou sua vida ao restabelecimento da saúde de todos os que solicitavam sua ajuda por meio da homeopatia. Um de seus propósitos foi divulgar e lutar pelo crescimento da homeopatia no Brasil.

Conheceu a terapêutica quando estava desenganado pela medicina tradicional, por conta de uma hepatite medicamentosa. Aos 25 anos, curou-se e passou a dedicar toda sua energia para a homeopatia, em paralelo à sua vida profissional como advogado e, mais tarde, como procurador federal do Ministério da Saúde.

Em 1983, fundou com um grupo de amigos, a Homeopatia Átomo, farmácia homeopática da qual era sócio-gerente. Na Átomo, trabalhou de segunda a sábado, sem nunca tirar férias ou se ausentar, até adoecer. Organizou o “Guia de Orientação Homeopática. Matéria Médica e Terapêutica”, publicado pela editora Maud em 2007, uma valiosa contribuição aos que estudam o tema.

Filho de pais espanhóis, foi criado em parte no Restaurante Cosmopolita, no bairro da Lapa, no Rio de Janeiro, onde seu pai era garçom e seus tios, os proprietários.

Em 1965, casou-se com Mirian Lopes Gonzalez, em uma linda cerimônia no Convento de Santo Antônio do Largo da Carioca, no Rio de Janeiro. Nessa cidade, nasceu e viveu por toda a sua vida. Deixa uma filha, Carla, e mais dois do coração: Mariza e Octávio, primos de sua mulher. Também deixa o neto Victor, filho de Octávio.

Orlando gostava muito de futebol e era um saudosista de jogadores e times, cujas partidas assistira nos anos 50, 60 e 70.

Durante a juventude, jogou intermináveis partidas de futebol de areia, com os amigos do Instituto de Aposentadorias e Pensões dos Industriários, mais tarde INPS. Foi no IAPI que começou a trabalhar como mensageiro, aos 14 anos. Em paralelo à sua carreira de funcionário público, foi revisor do Jornal do Brasil, nos anos 60. A leitura e a escrita, bem como a língua portuguesa, eram outras de suas paixões.

Voltando ao futebol, dizia que era torcedor do São Cristóvão, time do bairro onde morou durante a juventude, mas sua esposa sustenta que ele era vascaíno de coração. Registre-se que ele vibrou muito com o time rubro-negro do Mister Jorge Jesus, em 2019.

Sempre sorridente, radiante, com muitos amigos, Orlando era conhecido por sua gentileza, pela dedicação à família e por sua paixão fervorosa à homeopatia.

Orlando nasceu no Rio de Janeiro (RJ) e faleceu no Rio de Janeiro (RJ), aos 82 anos, vítima do novo coronavírus.

Testemunho enviado pela filha de Orlando, Carla de Gonzales. Este tributo foi apurado por Millena Gama, editado por Lúcia Bettencourt, revisado por Lígia Franzin e moderado por Rayane Urani em 11 de julho de 2020.