Sobre o Inumeráveis

Shirley Moreira da Silva

1934 - 2020

Para ele, o sentido da vida estava em ter algo a fazer, algo a esperar e alguém a quem amar.

Shirley era um homem de surpresas. Gostava de pintar quadros abstratos - foram mais de 500 -, todos muito bonitos e alguns até ganharam prêmios. Gostava também de música e esportes. Adorava mesmo a esposa, Terezinha, de quem cuidava dia e noite.

Juntos, eles construíram a vida em 50 anos de casamento. Foram pais de duas filhas. Contaram histórias, viveram os sonhos de arte. Se ele gostava de pintar, cabia à Terezinha apaixonar-se pelas palavras. Que união bonita era aquela.

Ele faleceu primeiro. Terezinha partiu um dia depois. As coisas entre eles eram assim: um parecia segurar a mão do outro em cada instante. Nunca soltaram. Nunca soltarão.

Para resumi-lo em uma frase que tivesse letras pequenas ou em um sussurro que só ele ouvisse, com certeza encontraria-se o nome completo de sua esposa, que também está guardado nesse memorial: Terezinha Correa Moreira da Silva.

Shirley nasceu no Rio de Janeiro (RJ) e faleceu no Rio de Janeiro (RJ), aos 85 anos, vítima do novo coronavírus.

História revisada por Rayane Urani, a partir do testemunho enviado por pela filha Ana Maria Correa Moreira da Silva, em 25 de maio de 2020.