Sobre o Inumeráveis

Terezinha Alves Moura de Vasconcelos

1937 - 2020

Colecionava terços, que rezava diariamente, e bordava em ponto-cruz os nomes daqueles que amava.

A força era a sua marca, mas nunca perdia a ternura. E a sua afetuosidade era imensa: podia estar na fala, no sorriso, ou num prato de canjica, feijoada ou doce de leite.

Sempre pronta a defender aqueles de quem gostava, agia "como uma leoa" para proteger os filhos. “Ela possuía uma força carinhosa, um abrigo e um carinho demonstrado, por exemplo, no ponto-cruz com que traçou, inúmeras vezes, os nomes de quem amava e os nomes de quem os seus amavam”, relata a filha Carmen.

Terezinha era também conhecida como Tidinha e Neném. “Eu a chamava de mamãe”, diz Carmen, orgulhosa de poder referir-se assim a uma mulher que “quando tinha que lutar, ia à luta, com a força de sua fé em Deus. Era devota de Nossa Senhora de Fátima, colecionava terços e todos os dias rezava um.”

O otimismo e bom humor de Terezinha eram também facetas de sua coragem e contagiavam quem se aproximava. “Todos dela aprendiam uma alegria íntima, inquebrantável, uma alegria que sobrevivia a dores, tristezas, mágoas, essas coisas inevitáveis que também nos compõem”, diz a filha.

Carmen enfatiza que a mãe tinha na família o seu bem maior, a razão da sua luta. “Mas a razão da sua vida foi Geraldo, o Bilau, amor que conheceu adolescente e com quem ficou casada por cinquenta e três anos. Adorava contar a história do romance, um amor absoluto, cujo símbolo era um trevo-de-quatro-folhas”, relata. E conclui sua homenagem dizendo: “Minha mãe também era assim: absoluta. É desta maneira que ficará em todos nós, como parte de nós, dentro de nós”.

Terezinha partiu, mas o caminho de afeto que foi traçando ao longo da vida, com tenacidade, permanece bordado nos corações que o receberam.

Terezinha nasceu em Santana do Matos (RN) e faleceu em Natal (RN), aos 82 anos, vítima do novo coronavírus.

Testemunho enviado pela filha de Terezinha, Carmen Sylvia Alves de Vasconcelos. Este tributo foi apurado por Carla Cruz, editado por Renata Meffe, revisado por Lígia Franzin e moderado por Rayane Urani em 28 de julho de 2020.