Sobre o Inumeráveis

Thiago Luiz Ferreira Maciel

1985 - 2020

Amava muito o sorriso da sua esposa e amava ainda mais o sorriso banguela de Bruna, sua filhinha.

Esposo da Thatiana e pai da pequena Bruna, de 6 anos, Thiagão, como era chamado por todos os seus amigos, era aquela pessoa especial que, independente de onde chegava, já chegava brincando, emanando alegria, distribuindo carinho e sorrisos. Se ele estava presente, sem dúvida alguma a felicidade também estava. Esse era ele, que, apesar da idade, parecia uma criança pela pureza do seu coração.

A família era o seu maior orgulho e a ela dedicava todo o seu amor, principalmente à sua filha Bruninha, por quem era apaixonado. Superpai, um homem de coração e estatura física grande, quando estava com a filha se tornava criança como ela. Quando iam à praia sempre queriam fazer a maior piscina ou o maior castelo de areia, criando uma competição imaginária e colorida.

Iniciou sua carreira profissional como motorista, mas se encontrou mesmo foi na área da saúde, quando fez um curso técnico em enfermagem. Atuava como socorrista na BR-101, função que exercia com maestria. Pela oportunidade que tinha de salvar vidas, tinha orgulho em dizer que era um anjo do asfalto.

Brincalhão, dono de um sorriso fácil, tinha um costume singular: dormia com facilidade em qualquer lugar e era zoado por isso. Um grande companheiro de seus amigos, amava jogar futebol e se gabava que, mesmo sendo gordinho, jogava bem. Gostava também de jogar no computador, praticar jiu-jítsu e ver Ultimate Beastmaster, mas gostava ainda mais de uma boa pizza com a família.

Empático, não conseguia ficar estático vendo alguém passar por uma situação difícil e não fazer algo para deixar aquele fardo mais leve e a pessoa mais feliz. Com certeza todas as pessoas que tiveram o prazer de conhecê-lo, em algum momento, tiveram uma melhora no seu dia devido a sua presença e seu esforço. Foi um ser humano composto de muito amor: pela família, pelos amigos, pela vida, pelas pessoas, pela profissão. Era doador de sangue e de tudo que podia, estava sempre pronto a ajudar.

Foi luz em todos os sentidos possíveis e para todos, inclusive para sua irmã, Thaynara, que relata: “Ele me ensinou a não ter medo do escuro, ia comigo até eu começar a ter confiança para ir sozinha”. Ela também conta as últimas palavras que ouviu dele: “Lógico que eu não quero partir agora, tenho minha filha para criar, minha esposa e minha família, mas vim para esse mundo nu e assim voltarei dele, sendo agora ou outro dia. Não estou desesperado, pois hoje digo, com certeza, que meu coração está em paz, meu espírito está bem com o Espírito de Deus”.

Sua esposa, Thatiana, conta que ele foi um Servo do Senhor e que isso os consola, por saberem que ele está nos braços do Pai. Ela relata também a última frase que ouviu dele: “Fique forte e não perca o sorriso que tanto amo e que só perde para o sorriso banguela de Bruna”. E também o que ele disse para Bruna, filha deles: “Minha filha, papai vai ficar forte para poder fazer cosquinha em você. Separados, mas juntos no coração”.

Muito amado e querido por todos, exerceu de forma excelente todos os papéis que a vida lhe proporcionou. Inesquecível, deixa boas recordações e também muitas saudades.

Será sempre lembrado por sua alegria, foi o anjo do asfalto, anjo da terra e agora anjo no céu.

Thiago nasceu em Campos dos Goytacazes (RJ) e faleceu em Campos dos Goytacazes (RJ), aos 35 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido pelos familiares de Thiago, Thatiana Barbosa de Souza e Thaynara Maciel. Este texto foi apurado e escrito por Bianca Ramos, revisado por Paola Mariz e moderado por Rayane Urani em 15 de setembro de 2020.