Sobre o Inumeráveis

Valdinei Pereira de Souza

1977 - 2020

Amava a sensação das ondas do mar batendo e voltando nos pés.

Ele amava ser pai e estar junto. Sempre manteve a família por perto.

Adorava pé na areia e vento na cara.

Valdinei foi um herói completamente apaixonado pela profissão. Falava com orgulho que era enfermeiro, e quem o conhecia tinha certeza de que ele nasceu para cuidar e salvar vidas.

Mesmo diante de todas as incertezas, nunca perdeu a fé. Nunca perdeu a fé de que o amor pela profissão poderia mudar o mundo. Depois dos inúmeros plantões e dos dias fora de casa, chegava sempre com um sorriso no rosto e dizia “E aí, filha, qual o cardápio de hoje?”

“Todos os plantões no posto de saúde com o Valdinei eram memoráveis, ele fazia de tudo pelo bem do próximo”, recorda Andréa, sua colega de profissão.

Era uma pessoa que contagiava a todos com sua alegria e bom humor. Com o jeito engraçado e brincalhão, colocava um sorriso no rosto de quem estivesse ao lado. Sempre chamava os colegas de “naja, peste e bebê”.

Generoso de espírito. Disposto a crescer e aprender. Sabia aproveitar a vida. "Tinha o dom de enxergar beleza nos outros, principalmente, quando a pessoa não enxergava isso em si mesma", conta a filha Isabella.

Pai, esposo, filho, irmão e amigo. Era um exemplo de conduta. "Valdinei era gigante e forte. Deixou duas filhas e uma esposa apaixonadas por ele e pelo seu legado".

“Ao descobrir que estava internado, nos unimos em oração pela sua recuperação, e quando ele soube, enviou um áudio falando que tudo ficaria bem e agradeceu pelas orações. Vava era um incentivador e uma pessoa iluminada por Deus. Fará uma falta imensa”, declara Andréa.

"Quando olhávamos nos seus olhos, em sua última semana, víamos eternidade, víamos nosso lar. Toda a nossa história tão perfeitamente imperfeita", declara Isabella e prossegue: "Pai, papi, papai, paizinho... Você tocou e salvou tantas vidas. Teve medo, mas nunca deixou a peteca cair, como você mesmo dizia. Eu sabia desde o primeiro minuto em que te vi, que te amaria o máximo que conseguisse até o fim dos meus dias e que não poderia deixar de te amar mesmo nos momentos mais difíceis. Só consigo agradecer a todos os deuses que existiram ou que ainda vão existir, por ter tido a honra de ser sua filha".

Isabella se despede: "Vá em paz, você cumpriu linda e solenemente sua missão nessa terra. Você será nossa lembrança mais presente e mais bonita. E não se esqueça de lembrar aí de cima, que a desistência da luta, perde a força e a alegria da vitória".

Valdinei nasceu em Campo Grande (MS) e faleceu em Campo Grande (MS), aos 43 anos, vítima do novo coronavírus.

Testemunho enviado pela filha de Valdinei, Isabella Zago de Souza. Este tributo foi apurado por Samara Lopes, editado por Júlia de Lima, revisado por Lígia Franzin e moderado por Rayane Urani em 3 de outubro de 2020.