INUMERÁVEIS

Memorial dedicado à história
de cada uma das vítimas do
coronavírus no Brasil.

Lages (SC)

Carlos Roberto Garcia Barros, 66 anos

Tinha empatia sem igual, adorava viajar para a Argentina e fazia o melhor feijão e a melhor maionese do mundo.

Jacinto Adão Smiderle, 56 anos

Foi o maior incentivador das filhas, orgulhava-se das conquistas realizadas por todos da família.

Márcia Regina Ribeiro, 60 anos

Sempre de unhas vermelhas, era a calmaria em meio à tempestade. Com seu bom humor, fez muita gente sorrir.

Maria Julia Fernandes Souza, 74 anos

Passava a tarde cochilando no sofá com sua gatinha, depois reclamava que não conseguia dormir a noite toda.

Marta Beatriz de Souza, 74 anos

Abriu uma creche para que as crianças ficassem aos seus cuidados, enquanto os pais da vizinhança saíam para trabalhar.

Oralino Gaspar Dambrós, 72 anos

Cantava ao som da gaita e ensinava a viver pela expressão da alegria.

Roberto Martello, 50 anos

O churrasco de família não seria completo se faltasse a sua famosa frase: “Eu falei que a carne ia ser pouca”.

não há quem goste de ser número
gente merece existir em prosa