INUMERÁVEIS

Memorial dedicado à história
de cada uma das vítimas do
coronavírus no Brasil.

Maracanaú (CE)

António Crisóstomo Freire de Morais, 56 anos

Um homem carinhoso, honesto e muito inteligente. Conversava sobre qualquer coisa, com qualquer pessoa.

Antônio Sérgio Sobreira Cordeiro, 63 anos

Gostava de ser chamado de ‘Serjão’. Um apelido que lhe caía muito bem: um ser humano grande de coração e fé.

Carlos Pereira de Almeida, 59 anos

Um pescador de peixes e de pessoas. O melhor amigo da sua família. A borboleta azul do seu netinho.

Francisco Barbosa de Sousa, 78 anos

Levou água para muita gente por esse Ceará todo.

Francisco Carlos Teixeira de Assunção, 60 anos

Levava alimentos para cidades do interior do Ceará e, no peito, os nomes de seus filhos tatuado.

Francisco Roberto de Sousa, 47 anos

Cantava e dançava sem vergonha de nada. Humilde, brincalhão, exemplo de bondade.

Kelly Valeria Pereira do Nascimento, 30 anos

Tinha um jeito carismático que contagiava todos.

Maria de Jesus Ribeiro Frota, 84 anos

Um dom, uma certa magia, uma força que nos alerta.

Maria Nelba Almeida Correia, 68 anos

A artesã que conquistou uma cidade empreendendo com amor.

Raimunda Bonfim Silva, 65 anos

Atrás das portas do seu salão de beleza, atendia clientes e distribuía gentileza e doçura.

Rosângela de Lima Ferreira, 50 anos

Sem espinhos, Rosa cuidava muito bem do seu jardim pessoal: a família.

não há quem goste de ser número
gente merece existir em prosa