INUMERÁVEIS

Memorial dedicado à história
de cada uma das vítimas do
coronavírus no Brasil.

Vila Velha (ES)

Aguilar Lázaro, 79 anos

Com um pé na Itália e outro no Brasil, ele era da mesa farta, da conversa boa e do sorriso largo.

Altair Badaró Dias, 87 anos

A baiana capixaba mais animada de Vila Velha. Quando não estava batendo pernas com as amigas, fazia um feijão inigualável.

Anderson Oliveira Estevão, 54 anos

"Gatinha, eu te amo muito", declarava-se para sua amada esposa.

Cristiano Madureira Vidal, 45 anos

Tininin era vascaíno devoto, fez até promessa para o time do coração não ser rebaixado.

Dilma Queiroz Bello, 83 anos

Uma mulher determinada, generosa e de muita fé.

Eduardo Vieira de Souza, 38 anos

Apaixonado por carros, churrasco e refrigerante, foi o herói do único filho, que herdou as mesmas paixões.

Elda Maria Costa Botelho Silva, 64 anos

Sempre disposta a conhecer o novo, Elda via beleza em tudo.

Elias Gaudio, 57 anos

A cozinha era sua paixão, abriu o Delícias do Bill e lá servia as melhores empadas de Vila Velha.

Florentino Peterli, 70 anos

Depois de quatro cirurgias cardíacas, dizia: “Cada dia é um presente”.

Geraldo Correia Lopes, 80 anos

Pai de pulso firme e colo acolhedor; ensinou o real valor da família.

Jair Neves da Silva, 65 anos

Sua via foi um testemunho vivo de que a verdadeira bondade reside na essência, jamais na aparência.

Joaquim Alberto de Oliveira, 60 anos

Além de dar aulas de Educação Física, ele organizava as olimpíadas escolares, festas juninas, carnavais, desfiles...

José Sardinha de Souza, 51 anos

Sua gargalhada ecoava pelas ondas do rádio.

Laudelina Rasfascki Mazim, 75 anos

Laide, a companheira para todas as horas.

Lauricio Antonio de Siqueira, 77 anos

Quando contava uma piada, não havia ninguém que conseguisse segurar a risada.

Ligia Calixto de Lima, 73 anos

Mineira raiz, forte por si só, enfrentou a vida com garra.

Lucimar de Abreu Alves, 46 anos

Expressava em seu sorriso a alegria de viver e não resistia às brincadeiras infantis.

Márcia Mariano, 52 anos

Professora e pedagoga do sistema prisional, se encontrou na profissão. Generosa e alegre amava o calor da praia.

Maria Aparecida Geambastiani, 66 anos

Talentosa e afetiva, suas mãos eram hábeis nas artes e também nos cuidados; tia Cida era puro amor.

Maurício Lopes Miranda, 61 anos

Motorista ou passageiro, viajar era a sua paixão e a estrada era sua morada.

Murilo Leandro Alves da Silva, 41 anos

Soube aproveitar a vida, deu valor à educação e amou, intensamente, seu único filho.

Nely Ligorio Monteiro de Barros, 90 anos

Foi luz na vida de todos, com seu sorriso carinhoso, cabelinho da cor da neve e uma força admirável.

Paulo Cesar da Silva, 66 anos

Na roça ou na cidade grande, foi um lutador que desde sempre fez sua família e seus amigos sentirem muito orgulho.

Simone do Rosario Rangel Pereira, 44 anos

Como diz a música: “Os bons morrem antes”. Ela deixou saudade pela fartura de generosidade e de amor.

Valdinéia Rocha Flegler, 47 anos

Tinha um coração que não cabia no peito.

Walbert de Seixas Sousa, 73 anos

O briguento de coração grande e mesa farta.

não há quem goste de ser número
gente merece existir em prosa