INUMERÁVEIS

Memorial dedicado à história
de cada uma das vítimas do
coronavírus no Brasil.

Londrina (PR)

Antônio Bono Medina, 68 anos

Nico ensinou o que é ser feliz. Ensinou a viver e não ter vergonha de ser feliz!

Aparecida Cardoso Ribeiro, 66 anos

Entre seus prazeres estavam os passeios e os almoços de domingo que preparava com esmero para os filhos e netos.

Carlos Laine Ribeiro, 68 anos

Homem simples e trabalhador, que mostrava o seu grande valor por meio de suas atitudes cotidianas.

Elzo Kerson Ravanelli, 59 anos

Dividia seu coração entre o Londrina Esporte Clube e a doce Luiza.

Fabiana Viel Carvalho, 37 anos

Além do sorriso no rosto, nunca lhe faltaram humildade, sonhos e coragem para as batalhas.

Fernando Cesar de Souza Reis, 62 anos

Achava que um filme era ruim quando não tinha o final feliz.

Franciele Hidalgo Costa, 39 anos

Era a espevitada da família. Aonde ela chegava, virava festa.

Francisco Senra Neto, 73 anos

Além de criativo e visionário, Chico Senra era um colecionador de amigos.

Irani dos Santos Silva, 75 anos

Filha de Maria, onde a alegria e a fé fizeram morada.

João Martins Pereira, 77 anos

Foi pondo a mão na massa que ele construiu uma vida melhor para os outros.

José Casturino Ferreira da Silva, 71 anos

Voltou a ser criança para acompanhar o amado neto.

Jose Herculano Vilas Boas, 71 anos

Dono de um sorriso lindo, que iluminava todo o rosto.

Lourdes Villattory Willy, 88 anos

Linda como uma "rosa maria," estava sempre com as unhas feitas e o cabelo arrumado.

Marcilha Rodrigues Aguilar, 78 anos

Dona de uma personalidade única. Amava tirar fotos e aproveitar as coisas simples da vida.

Maria de Cassia Silva Lubak, 58 anos

Sonhava em rodopiar sobre as pontas dos pés, de sapatilha.

Marilda Teixeira Lopes Gasparino, 50 anos

Amou a vida e viveu da forma mais linda.

Paulo Lopes dos Anjos, 59 anos

Fazia todos sorrirem. Viveu intensamente cada momento com sua família e seus amigos, como se não houvesse amanhã.

Regina Aparecida Lima, 56 anos

Mãe costuma ser doce, mas Regina... tinha um tanto a mais de açúcar!

Rosa Romano Mendes, 83 anos

Uma mulher destemida e amável, especialmente bondosa e preparada pra tudo, tudo mesmo!

Sadi Rodrigues da Silva, 70 anos

O irmão da sanfona, conhecido em todas as CCBs de Londrina.

Wanderlei de Almeida, 67 anos

Ensinou que é preciso pouco para ser feliz nesta vida.

Zeíla Duarte Lopes, 86 anos

Delicada, elegante e amorosa, era Zeíla a "cola" que unia a todos.

não há quem goste de ser número
gente merece existir em prosa