INUMERÁVEIS

Memorial dedicado à história
de cada uma das vítimas do
coronavírus no Brasil.

Londrina (PR)

Antônio Bono Medina, 68 anos

Nico ensinou o que é ser feliz. Ensinou a viver e não ter vergonha de ser feliz!

Aparecida Cardoso Ribeiro, 66 anos

Entre seus prazeres estavam os passeios e os almoços de domingo que preparava com esmero para os filhos e netos.

Carlos Laine Ribeiro, 68 anos

Era puro amor, até mesmo quando bagunçava todo o fogão para fritar seu apreciado torresmo.

Elzo Kerson Ravanelli, 59 anos

Dividia seu coração entre o Londrina Esporte Clube e a doce Luiza.

Fabiana Viel Carvalho, 37 anos

Além do sorriso no rosto, nunca lhe faltaram humildade, sonhos e coragem para as batalhas.

Fernando Cesar de Souza Reis, 62 anos

Achava que um filme era ruim quando não tinha o final feliz.

Franciele Hidalgo Costa, 39 anos

Era a espevitada da família. Aonde ela chegava, virava festa.

Francisco Senra Neto, 73 anos

Além de criativo e visionário, Chico Senra era um colecionador de amigos.

Irani dos Santos Silva, 75 anos

Filha de Maria, onde a alegria e a fé fizeram morada.

Jessica Fortunato da Silva, 28 anos

Dançava no Ministério de Louvor da Igreja, levando fé e amor por meio de sua leveza e sorriso.

João Martins Pereira, 77 anos

Foi pondo a mão na massa que ele construiu uma vida melhor para os outros.

José Casturino Ferreira da Silva, 71 anos

Voltou a ser criança para acompanhar o amado neto.

Jose Herculano Vilas Boas, 71 anos

Dono de um sorriso lindo, que iluminava todo o rosto.

Lourdes Villattory Willy, 88 anos

Linda como uma "rosa maria," estava sempre com as unhas feitas e o cabelo arrumado.

Marcilha Rodrigues Aguilar, 78 anos

Dona de uma personalidade única. Amava tirar fotos e aproveitar as coisas simples da vida.

Maria de Cassia Silva Lubak, 58 anos

Sonhava em rodopiar sobre as pontas dos pés, de sapatilha.

Marilda Teixeira Lopes Gasparino, 50 anos

Amou a vida e viveu da forma mais linda.

Narciso Monteiro de Oliveira, 65 anos

Não gostava de ficar parado. Estava sempre ajudando alguém, e o tempo todo com muito carinho.

Paulo Lopes dos Anjos, 59 anos

Fazia todos sorrirem. Viveu intensamente cada momento com sua família e seus amigos, como se não houvesse amanhã.

Regina Aparecida Lima, 56 anos

Mãe costuma ser doce, mas Regina... tinha um tanto a mais de açúcar!

Rita Pinto da Silva, 68 anos

Foi uma pessoa simpática, que não ficava parada, regularmente estava fazendo algo pelos outros.

Rosa Romano Mendes, 83 anos

Uma mulher destemida e amável, especialmente bondosa e preparada pra tudo, tudo mesmo!

Sadi Rodrigues da Silva, 70 anos

O irmão da sanfona, conhecido em todas as CCBs de Londrina.

Wanderlei de Almeida, 67 anos

Ensinou que é preciso pouco para ser feliz nesta vida.

Wellington Wil do Prado, 32 anos

Comprava carros batidos e os arrumava, filmando todo o processo, para publicar em seu canal.

Zeíla Duarte Lopes, 86 anos

Delicada, elegante e amorosa, era Zeíla a "cola" que unia a todos.

não há quem goste de ser número
gente merece existir em prosa