INUMERÁVEIS

Memorial dedicado à história
de cada uma das vítimas do
coronavírus no Brasil.

Uberlândia (MG)

Antônio Albino José de Mateus, 96 anos

Quando feliz, e para despertar a casa, se transformava em um passarinho assobiador.

Antônio Inácio dos Santos, 77 anos

Tinha uma risada gostosa de se ouvir, sempre recebia os seus dizendo: "Deus te abençoe!"

Arnaldo Araujo Souza, 53 anos

Homem de poucas palavras, acalentava e dizia muito com o olhar.

Benedita Pereira dos Santos, 74 anos

Dona de um grande coração e de uma alma acolhedora, costumava dizer: "Tá bestando, uai".

Benedito da Silva, 107 anos

Foram 107 anos de pescaria, de luz, de sorrisos e de fé em Deus! Mais de um século de uma vida abençoada.

Célia do Socorro Santos, 53 anos

Cozinheira de mão cheia! Deixa lembranças em sabores, conselhos, alegria e amores na vida dos que tocou.

Célia Maria de Oliveira, 53 anos

Tinha o maior orgulho do brilho de suas panelas e do aroma de seus pães e roscas assando no forno.

Eni de Oliveira Carvalho, 84 anos

Uma mineira de fé, cheia de vida e com mãos de amor.

Erli Dias Moraes, 76 anos

Sabia cozinhar muito bem e seu prato mais famoso era o arroz com batatinhas.

Esvandir Teixeira, 72 anos

Um especialista no corpo humano, assistente na formação daqueles que salvam vidas.

Florêncio Faustino Antunes, 75 anos

Suas histórias de vida tornaram-se contos e prosas para quem o acompanhou e teve a sorte se ouvi-lo.

José Francisco Durville, 85 anos

Em meio à gargalhadas e conselhos, vô Zé amou e foi amado intensamente.

José Marinho dos Santos, 84 anos

Cuidou dos netos como se fossem filhos. Homem simples e amoroso que dedicou a vida à família.

Luiz Antônio Tannus Ferreira, 59 anos

Nas noites de inverno agasalhava as filhas e acalentava os seus corações.

Manoelito Vieira de Carvalho, 80 anos

Mané, o homem das mãos hábeis, parceiro de pesca, do café "margoso" e das palavras cruzadas.

Maria de Lourdes Medeiros Almeida, 74 anos

Adorava os dias de domingo e fazia uma galinhada mineira irresistível.

Maria de Paula Borges, 84 anos

Amava seu quintal com roseiras e orquídeas. Mas o que mais gostava era da casa cheia, com a família reunida.

Marlene Soria e Silva, 67 anos

Respeitosa, caridosa, generosa, amante da família, filha até o fim, mãe para sempre.

Martha Shyrley Melo Soares, 75 anos

Levava consigo a memória de uma infância acolhedora que a tornou calorosa por toda sua vida.

Neusa Mendes Soria, 89 anos

Forte, incansável, protetora, valorizou a vida até o último instante, vivendo-a energicamente.

Olair Donizete dos Santos, 56 anos

Pastor sábio e marceneiro incrível, apelidava carinhosamente aqueles que amava.

Ranulfo Pereira de Oliveira, 84 anos

Um homem de prazeres simples, tão simples como a roça onde ele nasceu e cresceu.

Ronan Olimpio de Oliveira, 75 anos

A graça e a gracinha em pessoa, esse herói sem capa ensinou a levar a vida de forma mais leve.

Valdeci Lima dos Santos, 57 anos

Era o amado vovô da Lis. Foi um ótimo vendedor de pequis, mesmo sem gostar do cheiro deles.

Wisley Falco Sales, 55 anos

Sem desanimar, viveu intensamente com amor, fé e muita coragem.

não há quem goste de ser número
gente merece existir em prosa