INUMERÁVEIS

Memorial dedicado à história
de cada uma das vítimas do
coronavírus no Brasil.

Sorocaba (SP)

Alexandre dos Santos, 45 anos

O sorriso fácil, a simpatia em pessoa!

Aline Camargo, 39 anos

Um trio elétrico em forma de mulher com rosto de menina. "Tenho três netos!", surpreendia todos ao dizer.

Álvaro André Alves Martins, 49 anos

Ele era a alegria da casa, da família.

Antônio Vito de Oliveira, 67 anos

Nunca pegou uma agulha que não fosse sua e fez questão de ensinar o valor da honestidade.

Carlos Augusto Latorre Soave, 64 anos

Fazia piada e trocadilhos com tudo, costumava dizer que o segredo da vida era fazer uma pessoa rir por dia.

Dirce Jorge, 67 anos

Contava as histórias em detalhes e sempre lembrava quando alguém não devolvia um de seus potinhos.

Eduardo Gonzales Filho, 64 anos

Esteve presente em todos os melhores momentos da vida do filho: eram melhores amigos.

Elza Maria Alves Gomes, 66 anos

Tinha a sensibilidade de prever o futuro, mas mirava mesmo era no tempo presente, com os olhos do coração.

Enio Mendes Junior, 59 anos

Vivia rindo e amava cafuné. Era a pessoa mais amorosa do mundo.

Fábio Penha Guerra, 60 anos

Fã de esportes e companheiro de viagens e aventuras em família. Felicidade completa? Um mimo do Corinthians.

Glédson Antônio de Proença, 38 anos

Tinha a capacidade de unir as pessoas com sua alegria, o que lhe conferiu o lugar de bom amigo.

Ivone Maria de Souza Pires Bueno, 66 anos

Uma vovozinha que amava zumba. Dona de uma risada inconfundível!

Jeannette Penha Guerra, 83 anos

Um olhar que transmitia paixão pela vida. Vózona aventureira e doida pelo Corinthians.

João Batista Pacheco, 55 anos

Uma alegria que contagiava o mundo.

José Carlos Silveira, 73 anos

De grande coração, alternava entre ser sério e piadista, mas sempre muito amoroso.

José Mário Ferreira da Silva, 60 anos

Um caminhoneiro de sorriso largo e energia contagiante, que marcou muitos corações pela estrada da vida.

José Renato Pires do Nascimento, 65 anos

Uma pessoa incrível, excelente filho, marido, pai, avô, tio e amigo. Para quem não havia tempo ruim.

Leonardo da Silva, 33 anos

Carinhoso e bondoso, divertia a todos com seu bom humor.

Levi Alves Martins, 61 anos

Não havia ninguém como ele para cuidar com tanto amor das plantas.

Luiz Carlos Moreira, 51 anos

Um cara alto-astral. Gostava de futebol e de se reunir com os amigos. Medo, só de barata.

Maria Antonia Cardoso Moretti, 58 anos

Sempre vaidosa e perfumada, a doçura de sua alma caridosa transbordava em forma de amor pela família e pela música.

Maria Aparecida Kellermamn de Macedo, 47 anos

Extrovertida por natureza, fazia amizade por onde passava, até mesmo nas rápidas viagens de ônibus.

Moema Haussauer dos Reis Faleiros Soares, 71 anos

Ao ver o pôr do sol, chamava a família para assistir ao espetáculo, juntos.

Neide Trillo Guerra, 88 anos

Uma mulher de fé, de sonhos e acima de tudo de muita alegria. Ela segue seu show e brilhará onde estiver.

Rodrigo Augusto Cardoso, 39 anos

Era sempre solícito com quem precisasse e fazia todos rirem. Cantava e encantava todos ao seu redor.

Roosevelth Narcizo Pinho, 68 anos

Alegre, conquistava a todos com as suas piadas ruins.

Sandra Francisco Pereira, 42 anos

Gostava muito de cozinhar. Era carinhosa e alegre e se dedicava àqueles que amava.

Sebastião Miranda de Oliveira, 84 anos

Um contador de histórias que encantava a alma e o coração de todos.

Silvia Maria Coutinho Gueiros de Azevedo, 65 anos

Em seus lábios, além do batom vermelho, havia sempre um sorriso de orelha a orelha.

não há quem goste de ser número
gente merece existir em prosa