INUMERÁVEIS

Memorial dedicado à história
de cada uma das vítimas do
coronavírus no Brasil.

Belo Horizonte (MG)

Adelina Vidotti de Souza, 91 anos

Uma nonna italiana, generosa e inesquecível.

Ademar Rodrigues Soares Filho, 62 anos

Tinha um cuidado muito especial com os sobrinhos e compartilhou com eles o amor pelas coisas simples da vida.

Alexandre Ferreira de Souza, 92 anos

Figura famosa em Augusto de Lima. Tinha um violão inseparável e amor imenso pela vida e pela família.

Ananias Assis da Silva, 76 anos

Amava a singeleza de uma planta, sua referência à vida de menino no interior, na roça, como ele dizia.

Ângela Maria Ferreira da Silva, 62 anos

Batalhadora e de bem com a vida, amava festas e passear. Cozinheira de mão cheia e boa de garfo.

Antonio Lopes do Nascimento, 78 anos

Carismático e encantador, nunca fez mal a ninguém e nunca reclamou da vida.

Antônio Miranda de Oliveira, 85 anos

Um homem de vestes elegantes e gestos simples.

Aparecida Gonçalves Domingues, 62 anos

Ela possuía o dom de acolher e cuidar. Alegre que era, adorava conversar e estar com os netos.

Armando Fernandes Branco, 77 anos

Sempre alegre e elegante, jamais deixou de levar consigo uma piada pronta na ponta da língua.

Carlos Augusto Flores da Cunha, 80 anos

Sua maior lição: a vida pode ser simples, honesta e nos proporcionar muitas alegrias.

Celeste Henriques Silva, 92 anos

Congelava o nome dos jogadores de futebol do time adversário para que eles perdessem a partida.

Cláudio Antônio de Oliveira, 60 anos

Um sábio professor que adorava uma roda de conversa, lutava pela educação e defendia as minorias.

Dante Nicola La Rocca, 78 anos

Eternizou risadas, boas recordações e histórias que sempre farão a família e os amigos sorrirem.

Edna Antônia de Moura Freitas, 77 anos

Vovó Nininha de pequena não tinha nada: era uma grande mulher cujo olhar transmitia amor e serenidade.

Efigênia Ferreira de Souza, 81 anos

Mãe protetora e dedicada, optou por uma família numerosa para distribuir todo o amor que guardava no peito.

Elisio Silva Costa, 59 anos

Era um homem extraordinário, marcado por muitas virtudes. Íntegro e honesto, estava sempre disposto a ajudar o próximo.

Ernane Avelar Fonseca, 65 anos

Falava tudo com um grande sorriso no rosto.

Expedito Gomes de Lima, 87 anos

Nunca desistiu ou se deixou parar pelas dificuldades, era sonhador demais para não mais tentar.

Fabrício Torres Sampaio, 73 anos

Sua busca pelo conhecimento o movia. Viajava para aprender sobre outros povos, culturas e modos de vida.

Fernando Lana, 72 anos

Após se aposentar, esse jornalista continuou a fazer sucesso no blog criado por uma de suas maiores fãs, a filha.

Francisca Rodrigues de Brito, 73 anos

O pilar de sua família, dona do melhor abraço e de uma felicidade só dela. Ica era querida por todos.

Francisco Marconi Gonçalves, 79 anos

Simples, sereno e sorridente, ele gostava de organizar as fotos para ter sempre à mão as melhores lembranças.

Genésio de Souza, 89 anos

Homem de sábios conselhos que tocava o berrante para celebrar a chegada dos entes queridos.

Geralda Bruno da Silva, 92 anos

Uma sábia mineira nonagenária que foi agricultora, parteira, dona de casa, costureira e tocadora de gaita.

Hubert Spadano, 82 anos

Homem alegre que vai fazer novas amizades no céu!

Ilma Maria Pires de Jesus, 84 anos

Avó batalhadora, muito amada por todos, tão calorosa que esquentava até corações.

Isaura Maria Ramos Nascimento, 83 anos

Forte, ativa e cheia de vida; era o amor em pessoa e a palavra de Deus na prática.

Ismana Altina Teixeira de Azevedo, 46 anos

Adorava visitas e preparava a comida típica mineira preferida de cada um. É como demonstrava seu amor.

Izabel Maria de Jesus Gonçalves, 69 anos

Seu lugar favorito no mundo era Caldas Novas, embora fosse para qualquer lugar onde sua família estivesse.

Jayme de Fátima Leite, 64 anos

Pelas palavras ou pelos gestos, ele esbanjava afeto.

João Antônio Pessoa, 89 anos

Guiado pela honestidade, sempre se preocupou com o próximo.

João Santana Sobrinho, 69 anos

Homem forte e apaixonado pela família, tinha o coração maior que as mãos.

José Alves de Oliveira, 63 anos

Acreditava que tudo é possível para quem sonha e tem determinação.

José Lola de Amorim, 91 anos

Da Paraíba para Brasília. De Brasília para BH. Foi aí que conheceu seu amor e fez morada.

José Messias Vieira Lima, 66 anos

Se divertia ao perturbar os outros com seu radinho AM.

José Paulo Silveira Ataíde, 74 anos

Generoso e caridoso, lutava contra o preconceito e a desigualdade. Atleticano de paixão, era doido pelo galo.

José Pedro da Silva, 70 anos

Pescar com os amigos era uma alegria. Voltava com mais histórias do que com peixes.

José Pires Alves, 73 anos

Apesar da timidez, ele sabia demonstrar afeto. Gostava tanto de doces que chegava a comer escondido.

José Ricardo Magela Vilela, 45 anos

Apaixonado por música, família e amigos. Mas com ele por perto, não se falava em política.

Josielle Ribeiro, 37 anos

Mulher destemida, dona de um enorme coração. Vivia sorrindo pelos corredores da Santa Casa de BH.

Lídia Izabel Braga, 77 anos

Escritora e poetisa, tinha o dom da palavra, inclusive para aconselhar. Sua fé era inabalável.

Luis Carlos Moreira Camargos, 63 anos

De bem com a vida, dançou e cantou em alto e bom som.

Luiza Martinho Soalheiro, 92 anos

Perto dela, a vida era sempre muita fartura e nenhuma frescura.

Marcos Antônio da Silva, 63 anos

O homem que abraçou como missão o amor à família, ao trabalho, a São Judas e ao carnaval.

Marcos Evangelista de Abreu, 54 anos

Acalmava seus pequenos pacientes, deixando-os usar o estetoscópio para ouvir as batidas de seu coração amoroso.

Maria Agripina de Almeida Luiza, 81 anos

Deixou a lembrança do biscoito e da bala que sempre guardava no bolso para entregar aos netos.

Maria Aparecida Andrade, 53 anos

Com a serenidade estampada no rosto redondinho, Cidão do Bonde sorria do cantinho dos lábios ao brilho de seus olhos.

Maria da Conceição de Jesus, 74 anos

Sinônimo de superação e de fé inabalável.

Maria Neuza de Souza Silva, 63 anos

Tinha um coração que transbordava generosidade e um humor espontâneo, do nada soltava suas "bobeiras".

Mariane Aparecida Moutinho Costa, 25 anos

Uma jovem que não desistia daquilo que queria.

Mário de Souza Ameno Filho, 62 anos

Amava uma costelinha com ora-pro-nóbis, costelão com linguiça e churrasco. Sempre com uma gotinha de pimenta.

Marlene Eunice Vanucci de Carvalho, 82 anos

A alegria foi seu norte.

Maurita Batista Rodrigues, 76 anos

A dona da padaria, costureira e torcedora do Cruzeiro. "Se sair gol você me avisa”, pedia ao genro em dias de jogo.

Milton Barbosa de Oliveira, 73 anos

Um avô que tornou a infância dos netos uma grande aventura, e a vida dos filhos um enorme aprendizado.

Milton Célio Vieira, 78 anos

Com as mãos, deu vida e forma a obras que traduziam seu amor pela arte e pela natureza.

Murilo dos Santos Ferreira, 68 anos

Ele foi um pai, sem ter filhos. E cozinhava como ato de amor.

Nalzira Ramos Junior, 81 anos

Uma viagem para o Rio de Janeiro. De avião. Esse foi seu último presente de aniversário, como ela queira.

Neli Suzana Tallarico Cambraia, 89 anos

Forte, divertida, falante e animada, gostava da riqueza de detalhes das histórias que ouvia e contava. Ela soube viver.

Nelsina de Sant Anna Costa, 85 anos

Apaixonada pela vida, virou referência de luta pelos ideais e de determinação para realizar sonhos.

Olga Assunção Caetano, 90 anos

Sob os cabelos brancos como algodão, hoje misturados às nuvens, foi mulher resiliente, corajosa e acolhedora.

Olto Mariano dos Reis, 89 anos

Adorava a família e a vida, e sempre dizia que chegaria aos 100 anos.

Priscilla Cristina de Oliveira, 32 anos

Uma mãe amorosa que adorava celebrar a vida. Dona de uma alegria que falava alto.

Remi José Teixeira, 68 anos

Homem de poucas palavras, seu coração enorme refletia nos gestos mais significativos.

Roberto Isaias Monteiro, 90 anos

Dono de uma gargalhada empolgante, foi um anfitrião exemplar, divertido e um ótimo contador de histórias.

Rodrigo Gomes Braga, 43 anos

Um professor que ensinou sobre o amor e dedicou-se a fazer o bem.

Sandra Regina Chaves dos Passos, 61 anos

Sua alegria e amor à vida tornavam os dias melhores.

Sebastiana Siqueira das Neves, 74 anos

Não deixava de tomar sol nem quando recebia visita em casa. "Vamos lá para o quintal esquentar no sol", chamava.

Vera Lucia Ferreira Martins, 63 anos

Para alimentar sua alegria, adorava assistir às novelas e ir aos circos.

não há quem goste de ser número
gente merece existir em prosa