INUMERÁVEIS

Memorial dedicado à história
de cada uma das vítimas do
coronavírus no Brasil.

Belo Horizonte (MG)

Adelina Vidotti de Souza, 91 anos

Uma nonna italiana, generosa e inesquecível.

Ademar Rodrigues Soares Filho, 62 anos

Tinha um cuidado muito especial com os sobrinhos e compartilhou com eles o amor pelas coisas simples da vida.

Ananias Assis da Silva, 76 anos

Amava a singeleza de uma planta, sua referência à vida de menino no interior, na roça, como ele dizia.

Ângela Maria Ferreira da Silva, 62 anos

Batalhadora e de bem com a vida, amava festas e passear. Cozinheira de mão cheia e boa de garfo.

Antônio Miranda de Oliveira, 85 anos

Um homem de vestes elegantes e gestos simples.

Aparecida Gonçalves Domingues, 62 anos

Ela possuía o dom de acolher e cuidar. Alegre que era, adorava conversar e estar com os netos.

Armando Fernandes Branco, 77 anos

Sempre alegre e elegante, jamais deixou de levar consigo uma piada pronta na ponta da língua.

Cláudio Antônio de Oliveira, 60 anos

Um sábio professor que adorava uma roda de conversa, lutava pela educação e defendia as minorias.

Dante Nicola La Rocca, 78 anos

Eternizou risadas, boas recordações e histórias que sempre farão a família e os amigos sorrirem.

Ernane Avelar Fonseca, 65 anos

Falava tudo com um grande sorriso no rosto.

Francisca Rodrigues de Brito, 73 anos

O pilar de sua família, dona do melhor abraço e de uma felicidade só dela. Ica era querida por todos.

Hubert Spadano, 82 anos

Homem alegre que vai fazer novas amizades no céu!

Isaura Maria Ramos Nascimento, 83 anos

Forte, ativa e cheia de vida; era o amor em pessoa e a palavra de Deus na prática.

Ismana Altina Teixeira de Azevedo, 46 anos

Adorava visitas e preparava a comida típica mineira preferida de cada um. É como demonstrava seu amor.

Jayme de Fátima Leite, 64 anos

Pelas palavras ou pelos gestos, ele esbanjava afeto.

José Pires Alves, 73 anos

Apesar da timidez, ele sabia demonstrar afeto. Gostava tanto de doces que chegava a comer escondido.

José Ricardo Magela Vilela, 45 anos

Apaixonado por música, família e amigos. Mas com ele por perto, não se falava em política.

Josielle Ribeiro, 37 anos

Mulher destemida, dona de um enorme coração. Vivia sorrindo pelos corredores da Santa Casa de BH.

Marcos Antônio da Silva, 63 anos

O homem que abraçou como missão o amor à família, ao trabalho, a São Judas e ao carnaval.

Maria Aparecida Andrade, 53 anos

Com a serenidade estampada no rosto redondinho, Cidão do Bonde sorria do cantinho dos lábios ao brilho de seus olhos.

Maria da Conceição de Jesus, 74 anos

Sinônimo de superação e de fé inabalável.

Maria Neuza de Souza Silva, 63 anos

Tinha um coração que transbordava generosidade e um humor espontâneo, do nada soltava suas "bobeiras".

Mariane Aparecida Moutinho Costa, 25 anos

Uma jovem que não desistia daquilo que queria.

Marlene Eunice Vanucci de Carvalho, 82 anos

A alegria foi seu norte.

Milton Barbosa de Oliveira, 73 anos

Um avô que tornou a infância dos netos uma grande aventura, e a vida dos filhos um enorme aprendizado.

Murilo dos Santos Ferreira, 68 anos

Ele foi um pai, sem ter filhos. E cozinhava como ato de amor.

Nalzira Ramos Junior, 81 anos

Uma viagem para o Rio de Janeiro. De avião. Esse foi seu último presente de aniversário, como ela queira.

Nelsina de Sant Anna Costa, 85 anos

Apaixonada pela vida, virou referência de luta pelos ideais e de determinação para realizar sonhos.

Olga Assunção Caetano, 90 anos

Sob os cabelos brancos como algodão, hoje misturados às nuvens, foi mulher resiliente, corajosa e acolhedora.

Olto Mariano dos Reis, 89 anos

Adorava a família e a vida, e sempre dizia que chegaria aos 100 anos.

Priscilla Cristina de Oliveira, 32 anos

Uma mãe amorosa que adorava celebrar a vida. Dona de uma alegria que falava alto.

Roberto Isaias Monteiro, 90 anos

Dono de uma gargalhada empolgante, foi um anfitrião exemplar, divertido e um ótimo contador de histórias.

Rodrigo Gomes Braga, 43 anos

Um professor que ensinou sobre o amor e dedicou-se a fazer o bem.

Sandra Regina Chaves dos Passos, 61 anos

Sua alegria e amor à vida tornavam os dias melhores.

Vera Lucia Ferreira Martins, 63 anos

Alegre e comunicativa, adorava o mês de maio.

não há quem goste de ser número
gente merece existir em prosa