INUMERÁVEIS

Memorial dedicado à história
de cada uma das vítimas do
coronavírus no Brasil.

Distrito Federal

Abadia de Fátima Alves, 63 anos

Era a doçura no olhar, no coração e na vida de todos.

Abelin Maria Pereira Cardoso, 64 anos

Sua alegria de viver se traduzia num gostoso pão de mel.

Adriana Marques de Almeida Luz, 57 anos

Não era só dentista, era criadora de sorrisos.

Aida Rodrigues Bragança, 71 anos

De tanta felicidade e amor que tinha em si, compartilhava isso com o mundo ao seu redor.

Alberto Barbosa Ferreira, 71 anos

O cameraman que eternizava todas as melhores memórias da família.

Alcirene Aires Moura, 59 anos

Construiu sua vida profissional no ambiente hospitalar e encontrou o amor em um baile, dançando ao som de Lionel Richie.

Alexandrina Izabel Ferreira, 88 anos

Nas tardes de sábado, já era tradição: ela preparava um bolo para o café da manhã do dia seguinte, após a sagrada missa.

Amaro José Cavalcante de Lima, 77 anos

Era um patriota nato com um coração gigante.

Anália Ferreira Barbosa, 91 anos

Uma bisavó guerreira e de sorriso aberto, autêntica filha do interior da Bahia.

Antonieta Félix da Silva, 63 anos

Exemplo de força e determinação, dominava com maestria os saberes e sabores ancestrais.

Antônio Gomes de Alencar, 86 anos

Cuidava do jardim da igreja com amor, acolhia os amigos da neta como avô e os seus próprios amigos como um pai.

Antônio Gomes Filho, 87 anos

Ele sempre agradeceu a Deus pela vida e por tudo que tinha.

Antonio José Pereira, 61 anos

Homem de alma revolucionária e dono de um coração maior do que lhe cabia no peito, deu a vida pela mãe.

Antonio José Pereira Francisco dos Santos, 73 anos

O “Guardião dos Anjos”, médico pediatra que protegia até com as palavras.

Antônio José Prado Anchieta, 43 anos

Para ele, que era divertido e nunca tirava o sorriso do rosto, a família era mais que especial; e a filha, o maior bem.

Antônio Marcos, 66 anos

Sonhava morar no rancho da família ao aposentar-se e amava deitar na rede para curtir os netos aos domingos.

Arismar Fonseca dos Santos, 65 anos

A arte da vidraçaria era a identidade dele. Dela tirou o sustento e educou os filhos, sem jamais perder a leveza.

Celina Xavier Gontijo, 64 anos

"Você não é todo mundo!", "Porque não e pronto!", ela repetia.

César Augusto Severo, 46 anos

Referência no ensino da Física, também era nota 10 nas matérias empatia e bom humor.

Christion dos Santos Barbosa, 29 anos

Amor, sorriso, carinho e atenção eram as suas marcas.

Cleonice Bonfim Corrêa Rocha, 58 anos

Com fé, caráter íntegro e trabalho, conquistou sonhos e amou sua família e amigos.

Daniel Pereira da Silva, 59 anos

Mesmo que fizesse pose de durão, entregava seu imenso coração através de seu olhar cheio de amor.

Deverson Azevedo, 32 anos

O filho de Afonjá cujo sorriso largo e fácil abraçava todo mundo.

Edgard Viana de Sant’Ana, 95 anos

Amava Turma da Mônica, livros de fantasia e tirar fotos com um sabre de luz nas estreias de Star Wars.

Edson Gonçalves de Araújo, 78 anos

Um homem iluminado e de caráter irreparável. Avô que amava a família e era louco pelos almoços de domingo.

Élio Guedes Dias, 53 anos

Não podia ver uma bola que na mesma hora saía mostrando seu talento no futebol.

Elizabeth Maria Loureiro Gil, 75 anos

Querida por tantos, Bebeth gostava de lembrar e contar histórias de família. Mãe e avó amorosa e sempre presente.

Ernesto Carrara Junior, 72 anos

Grande em tudo o que fazia na vida familiar e profissional, gostava de celebrar a vida cercado de amor.

Eunice Teixeira de Andrade, 82 anos

Uma baiana que era uma fortaleza; o pilar e o porto seguro da grande família Andrade.

Evaristo Batista, 70 anos

Sempre teve gana de conhecimento. Soube viver como poucos.

Fernanda Thaís Ferreira Araujo, 30 anos

Cheia de vida e dona de uma risada incomparável e contagiante, adorava ler e aprender.

Flávio Augusto de Sousa, 51 anos

Seu grande sonho era dar a volta ao mundo em sua Kombi Quimera com a família.

Francisca Rodrigues Duarte, 74 anos

Extrovertida e dona de uma gargalhada única, Tia Neném adorava dançar forró, cozinhar, cuidar de sua família e de suas plantas.

Francisco Henrique Rodrigues da Silva, 27 anos

Fazia a trilha sonora das viagens a trabalho com a própria voz, cantando músicas católicas.

Francisco Joaquim do Nascimento, 70 anos

Duas palavras o definem: felicidade e otimismo.

Francisco José da Silva, 46 anos

Do trabalho com o vidro nasciam os sonhos: casa própria, viagem em família e aposentadoria na roça.

Genival Cavalcante Monteiro, 44 anos

Servidor do Exército Brasileiro, tinha prazer em contar histórias sobre suas missões. Honrou sua família e seu país.

Geso de Paulo Silva, 79 anos

Guerreiro, flamenguista e amante da boa música. Um sonhador que com suas conquistas ajudou toda a família.

Getúlio Aquiles da Rocha, 76 anos

Brincalhão e contador de histórias. Não perdia um jogo do Flamengo e nem os capítulos das novelas.

Gustavo Barreto Alcântara, 11 anos

Estudioso e um grande amigo, gostava de jogar bola nos intervalos das aulas.

Ilson de Figueiredo, 83 anos

Alegre, carismático, generoso, apaixonado pela família e pela vida. De espírito jovem, nunca deixou de sonhar.

Ismael Pereira de Oliveira, 41 anos anos

Apaixonado por motos, o motoboy adorava reggae e levava na garupa o desejo de estar perto da família.

Izaias Lopes Cabral, 74 anos

Cortando cabelos, saiu da pobreza e criou três doutores.

Jacilene Aparecida de Souza, 44 anos

Dona de um sorriso fascinante e de um amor incalculável.

Jacineide Azevedo da Costa, 42 anos

Uma fortaleza bondosa que viveu para seguir os ensinamentos de Cristo.

Jackson Carlos Barbosa, 65 anos

Ele ouvia com o coração.

Jair Reis, 48 anos

Representou, com amor, os rodoviários de Brasília e cantava uma moda de viola aonde chegava.

Jane Maria de Oliveira Alcântara, 66 anos

Sempre atenta aos números, contas, aniversários e telefones, sabia tudo!

Joana Batista Lopes Jamar, 74 anos

Levou a vida tricotando a união da família e temperando amor.

João José Barroso Viana, 56 anos

Um lorde na elegância e no bom humor.

João Paulino da Silva, 78 anos

Um grande contador de histórias que tocava lindas músicas no violão e amava pescar com a família.

João Teixeira Madureira, 88 anos

João Desbravador Tié, nome que representa sua coragem diante dos percalços na estrada dos sonhos. Saboreou a vida.

Joaquim Eudes Farias Mourão, 74 anos

No seu coração, cabia o mundo. Foi um homem do bem.

Joaquim Francisco de Sousa, 76 anos

Dedicava-se às boas conversas, sempre praticando a empatia, à costura de redes de pesca e à música sertaneja.

José Anacleto da Silva, 84 anos

Brincalhão, prestativo e cuidadoso, era notado por onde passava.

José Ataliba Gomes de Souza, 73 anos

No seu silêncio, ele transitava com muita leveza entre as pessoas. Preferia ter paz a ter razão.

José Carvalho de Araújo, 71 anos

Desbravador, ajudou a abrir os caminhos da nova capital federal que se erguia.

José Ribamar Gomes Carneiro, 63 anos

O eterno cozinheiro dos Faria Carneiro, Zeca não hesitava em atender um pedido da família.

José Romildo Pereira da Silva, 50 anos

Uma fonte inesgotável de superação, amor e cuidado com o próximo.

Josefa Gomes de Brito de Oliveira, 79 anos

Quando ela chegava era como se uma luz se acendesse.

Josué Dias de Alencar, 67 anos

"Um homem grandão", de voz calma e passos largos e que já chegava de braços abertos.

Joubert de Oliveira Brizida, 86 anos

O carismático general que conquistava o Exército e a conversa.

Judá Iuquira Barbosa de Barros, 51 anos

O mar e o sol combinavam com essa mulher que irradiava calor e amor pela vida.

Lázaro Ribeiro, 68 anos

"Data venia", eis aqui o escritor de poesias mais sensível e o pai mais amoroso desse planeta.

Lélio da Costa Freitas, 67 anos

Companheiro de viagem, leitor voraz sobre língua portuguesa, gramática e História do Brasil, e ainda amante da dança.

Ludovina Rosa de Jesus Andrade, 104 anos

Viva a Dona Rosa e seus 104 anos recheados de histórias e aventuras.

Luis Fernandes Barbosa, 80 anos

Um homem correto e de palavra, pensava sempre nos filhos e em Laura, o único amor de sua vida.

Luiz Gonzaga Santana da Silva, 71 anos

Se a marca do Brasil for considerada o sorriso, o Luiz era um dos brasileiros que faziam jus a essa fama.

Mara Lúcia Silva Albuquerque, 52 anos

Com seu incrível e doce soprano, quando cantava a Deus, se entregava em adoração a Ele.

Marcelo Ricardo de Almeida, 48 anos

Encantava sua amada com verdadeiras alquimias culinárias e, para que ele ganhasse o dia, bastava um elogio.

Margarida Ramos Coelho, 82 anos

Uma flor resistente que perfumou o cerrado com esperança e coragem.

Maria Cleusa de Souza Costa, 58 anos

Tinha um sorriso contagiante. Realizou o grande sonho de ver o mar.

Maria da Conceição Cunha, 82 anos

Mãe de 13 e avó de 43, amava bonecas e fazia o melhor cuscuz do mundo.

Maria da Conceição Silva do Rego, 60 anos

Sinônimo de alegria para quem a conhecia. A mulher mais cheirosa do mundo exalava as cores da vida.

Maria da Graça Ferreira Andrade, 70 anos

Como guerreira amorosa e taróloga renomada, foi luz e inspiração para todos.

Maria da Salete Henriques, 62 anos

O que Salete fez de melhor nessa vida foi servir ao próximo e cuidar dos seus com muito amor.

Maria José da Silva Araújo, 54 anos

Ela era a alegria dos dias de seus familiares.

Maria José Martins Borges Silva, 65 anos

Zezé era temente a Deus e uma cozinheira de mão-cheia.

Maria Marta de Faria, 65 anos

Forte e decidida, a religiosa era amada por toda a comunidade.

Maria Ribeiro de Farias, 73 anos

Contrariou e venceu todos os obstáculos, realizando projetos e sonhos.

Maria Teixeira da Silva, 68 anos

Mariquinha era um doce de avó, aquela que fritava o melhor bife do mundo e fazia o bem, sem olhar a quem.

Maria Umbelina da Silva, 72 anos

Fazia a mais deliciosa mousse de maracujá e foi a melhor matriarca que uma família pôde ter.

Marlene Generoso Madureira, 85 anos

Mulher consagrada às alegrias e reveses de esposa e mãe. No jardim da família, uma rosa eterna de nome saudade.

Marlene Monteiro de Almeida, 74 anos

Mamá era mestre na virtude de servir o próximo.

Matuzalém Oliveira da Silva, 46 anos

Craque na mecânica e nos gramados, mostrou que conhecimento também está no fazer.

Nailda Amélia da Silva, 79 anos

Muito amorosa e vaidosa, era conhecida como "a senhorinha cheirosa".

Oscar Rodrigues da Costa, 94 anos

Cantava e dançava na sala de casa enquanto pedia por chuva para aliviar o calor.

Ozias Rodrigues do Nascimento, 70 anos

Era dono de um coração puro e de uma disposição incrível para fazer suas visitinhas costumeiras.

Paulo Henrique Primo de Araújo, 44 anos

Cheio de talentos, conseguia consertar qualquer coisa orientando-se por vídeos que pesquisava na internet.

Paulo Martins dos Santos, 53 anos

O décimo dos treze filhos de José e Maria. Ordinal sem ordem de importância, numeral só pra falar de amor.

Paulo Queiroga, 76 anos

Bastava um encontro, fosse aniversário ou reunião, para ele transformar em cantoria, batucada e carnaval.

Pedro Otavio da Costa Nunes, 72 anos

Para comprar, vender ou locar imóveis, Pedro Otavio era o melhor e mais sorridente corretor de Brasília.

Raimunda Maria de Souza, 81 anos

Por meio de seu ofício, tecia roupas, costurava esperanças e bordava generosidade; tudo arrematado com sua gargalhada contagiante.

Raimunda Viana Abreu Alves, 78 anos

Tinha o coração do tamanho de sua fé e tratava todos por "irmãos em Cristo".

Raimundo Alves, 81 anos

Apaixonado e amoroso, nunca se esqueceu da roupa que a amada usava quando se conheceram.

Rogério Tavares Benchaya, 41 anos

O cantor de voz grave realizava seu sonho de infância voando pelo céu do Brasil.

Rosa de Lourdes Marinho Vasconcelos Monteiro, 51 anos

A mais bela Rosa que enfeitou os jardins da vida.

Rosa Maria Francisca de Sousa, 73 anos

Força e doçura na mesma pessoa, foi inspiração de coragem e resiliência para todas as mulheres da família Sousa.

Rose Meire Bezerra Borges, 66 anos

Em cada janela do Condomínio Living há um coração que lembra de ti com gratidão, querida Rose Meire.

Rosilda Rodrigues de Souza Cavalcante Lima, 79 anos

Uma flor em forma de "mãinha", que enfeitava e defendia os seus.

Sebastião Francisco de Oliveira, 97 anos

Um guerreiro centenário.

Sebastião Pereira do Nascimento, 61 anos

Brincalhão, amoroso e íntegro. Tinha um coração generoso e ajudava em silêncio.

Sileide Lopes Ornelas, 54 anos

Sileide fazia um delicioso bolo de queijo repleto de sabor e afetividade.

Stela Bezerra Gonsalves, 78 anos

Baiana com alma de candango, viveu a cantar a vida e jamais recusou uma boa pamonha ou um saboroso pequi.

Terezinha de Jesus Pereira, 87 anos

Amava sem medida, tinha o dom de guiar almas e virava mãe logo no primeiro abraço.

Terezinha Lopes de Oliveira, 54 anos

Uma pessoa ímpar, a vontade de ser melhor a movia.

Valéria Rocha dos Santos, 43 anos

Alegre e risonha, amava dar aulas e ouvir música. Acreditava na educação através do amor.

Victor Rodrigues Medeiros, 25 anos

Vitão era luz de bondade na vida de quem chegasse perto dele.

Viviane Rocha de Luiz, 61 anos

Amava viajar e a motivação da sua vida era ajudar ao próximo.

Waldison Gomes Medeiros, 84 anos

Para passear, não dispensava seu chapéu, anéis e o perfume forte. Com a Bahia dentro dele, ensinava que comida boa era comida com farinha!

Walter de Oliveira, 77 anos

Para ele, se o coração estivesse precisando de acalanto, estava na hora de ir pescar.

Wania da Silva Pinto, 38 anos

Vaidosa, amava ser maquiada e fazer as unhas; depois, ninava suas bonecas como se fossem bebês de verdade.

Washington Luiz Alves Martins, 59 anos

Como profissional, salvou vidas. E a sua era melhor quando estava na chácara junto à família, seu maior bem.

Wellington Ricardo Pereira de Almeida, 47 anos

Simples, humilde, prestativo, amável e feliz com vida.

Wilson Gonçalves Nóbrega, 86 anos

Romântico, oferecia à sua amada as flores que colhia na vizinhança, e levava o café na cama para ela todos os dias.

Zamzam El Eter, 52 anos

Usou seu talento para ajudar outras mulheres a recuperarem a autoestima e para espalhar sua cultura e amor.

não há quem goste de ser número
gente merece existir em prosa