INUMERÁVEIS

Memorial dedicado à história
de cada uma das vítimas do
coronavírus no Brasil.

Rio Grande do Sul

Abel da Cruz Neto, 61 anos

Criava chavões a cada oportunidade, cuidando do bem-estar alheio, que era sua especialidade.

Adão Pagnossin, 55 anos

Os fregueses sempre foram seu maior compromisso, por isso temperou seu trabalho com sabor, honra e excelência.

Ademir Cunha dos Santos, 73 anos

Pescaria e o time do coração completavam a felicidade de quem nasceu para ser o grande Capitão Gancho.

Alice Maria Goulart de Morais, 70 anos

Eterna educadora, amante da vida e do samba.

Analice de Rossi, 58 anos

Médica, sonhadora e cheia de planos. Cuidou de todos ao seu redor.

Andréia Oliveira Garcia, 42 anos

Deixou órfãos diversas pessoas que se sentiam cuidadas por ela.

Anna Norina Konzen, 88 anos

Mulher sincera e direta, tanto para mostrar carinho, quanto para expor suas dores.

Auri João dos Santos Ortiz, 51 anos

Empresário de alegria contagiante, fez da sua empresa lar de cães e gatos que adotou das ruas.

Benedito Melgarejo Saldanha, 52 anos

Imortal e fundador da Academia Porto Alegrense de Letras, era apaixonado por literatura e entusiasta de novos talentos.

Brandali Goreti de Oliveira, 61 anos

Tinha nome de artista e embora não o fosse, por ofício, Brandali era pura sensibilidade.

Breno Rosa Pereira, 67 anos

Família, trabalho, música e viagens eram suas grandes paixões.

Carlos Caetano Valduga, 74 anos

Apaixonado pela família e pelos animais, tinha a emoção nos olhos.

Carlos Ismael Ferreira, 51 anos

Ganhou o apelido carinhoso de Xororó quando adotou o corte de cabelo da famosa dupla sertaneja.

Catarina Lopes Pereira, 76 anos

A comida na mesa, nas tão frequentes e animadas festas da família, era sua forma de amar.

Cecília Noeli Knapp, 52 anos

Bondosa e disposta a ajudar o próximo, carregava sempre consigo a cuia para o tradicional chimarrão que tanto amava.

Celso Schreiber, 66 anos

Amava os seus, mas não queria ser chamado de avô. Decidiu, pois, que seria "parente" dos netos. E assim foi.

Chaiane Tainara Pes Blass Woiciechowski, 33 anos

Pedagoga, técnica de enfermagem e sonhadora: queria ainda ser maquiadora profissional e ter o próprio estúdio.

Clarice Terezinha Bastos Cardoso, 64 anos

Apaixonada pelos dois netos e pelos livros espíritas da autora Zíbia Gasparetto.

Cléa Bernadete Silveira Netto Nunes, 68 anos

Abriu caminhos para que outras mulheres de sua família pudessem se construir por meio deles.

Clodoaldo Mate, 48 anos

Transformava tristeza e vazio em esperança e alegria.

Cristiane Pacheco Rodrigues, 48 anos

Foi uma avó cheia de amor e carinho.

Dalvair Adilon Silveira, 47 anos

Um herói para sua filha; um homem sempre disposto a ajudar quem precisasse.

Danilo Lazzarotto, 87 anos

Um professor que deixa o exemplo de uma vida plena e cheia de propósito.

Darci Debastiani, 66 anos

Apaixonado pelos netos, filhos e esposa. Gostava de passar as férias no balneário de Mariluz.

Darci Paim, 87 anos

Amante do futebol, possuía um caderno onde registrava a estatística de seu time.

Delano Rosevelt Alves Ramos, 75 anos

Amava tanto os animais, que deu a piscina de casa para os patos nadarem. Nem se importou com a bagunça.

Delano Togni, 71 anos

Falar dele é como sentir a calma, a tranquilidade e a generosidade de um amigo de todas as horas.

Delmar Vargas de Quadros, 75 anos

Homem íntegro e justo, com um coração bondoso, estava sempre disposto a ajudar o próximo.

Dina Márcia dos Santos Silva, 86 anos

Tinha mãos e talento para os pães que cheiravam pela casa e os doces maravilhosos que traziam seus filhos e netos para perto dela.

Dione Cardoso Rodrigues dos Santos, 68 anos

A cada adversidade, um aprendizado. Em sua despedida queria gaita, pandeiro, milongas e samba.

Dionisio Bristot, 83 anos

Alegre e vaidoso, Bonitão estava sempre arrumado, com banho tomado, creme no cabelo e barba feita.

Doroti Boulanger Trindade, 66 anos

Vocação para ajudar o próximo.

Ederson Becker, 37 anos

Tratava a família como o bem mais importante da vida.

Édison Armando de Franco Nunes, 73 anos

Mudou a vida de muita gente em Passo Fundo, como médico veterinário, professor e político.

Edmar Antônio Zanetti de Ávila, 83 anos

Entre muito sorrisos, uma partida de canastra e a eterna saideira.

Edy Fetter Georg, 92 anos

Leitora voraz, cozinheira dedicada e cidadã solidária.

Elloah Nemoto Piccoli, 92 anos

Só assinava documentos importantes com as unhas feitas, e jamais saía de casa sem brincos e batom.

Eloy Fiebig, 75 anos

Ativa e participativa, deixa lição de vida comunitária.

Emília dos Reis, 85 anos

Ativa nas redes sociais, sua missão sempre foi ensinar.

Enio José Pereira, 75 anos

Não era apenas o "vô do banco da praça". Era também um genuíno gaiteiro dos pampas gaúchos.

Ercílio Pereira dos Santos, 65 anos

O colecionador de amigos, que estava sempre à disposição para ajudar, dividia tudo o que tinha nas mãos.

Ernesto Antônio Barbosa, 89 anos

Sinônimo de garra e otimismo, ele era o Super-Homem da família. Sempre pronto para resolver qualquer problema.

Erni Fernando de Lima Rodrigues, 66 anos

Sempre presente no cotidiano da família, esperava os netos chegarem da escola para tomar café com eles.

Erondina da Silva Reis, 66 anos

Uma mãe que lutou com amor para criar os filhos.

Eroni Ferreira Boeira, 81 anos

Equilibrava firmeza com doçura, guardava no coração a certeza de que todas as pessoas podem evoluir por meio do amor.

Etelvino Ernesto Mezzomo, 64 anos

Homem calmo e humilde, preferia perder a ter conflito com os amigos.

Fábio Andreoti de Jesus, 40 anos

Tatuador, deixou marcada a sua arte na pele de milhares de pessoas. E seu amor no coração de muitas outras.

Fernando Lindermayer, 74 anos

Tinha um sorriso de paz.

Flávia Sirlei Ramos, 68 anos

Mulher forte e otimista. Tinha uma receita única de galinhada e um sorriso que não se apagará.

Flávio Prestes Loronha, 67 anos

Generoso e carinhoso, colocava a amizade na frente de tudo.

Gerci Oliveira Godoy, 81 anos

Amante da poesia, adorava escrever e ler em voz alta seus poemas.

Gerson Dias de Oliveira, 72 anos

Poeta, marido, pai, avô, tio e, acima de tudo, amigo.

Gerson Luis Santos Diel, 61 anos

Nos pés o samba; no coração a alegria de participar do futebol e da solidariedade do grupo Matuzalem.

Gilda Teresinha Otanha Gonçalves, 59 anos

Cozinhava suas mágicas receitas para toda a família.

Gilmar Machado de Avila, 40 anos

Apaixonado pela cozinha e dono de um bom humor incrível.

Giselda Gusman de Lima, 90 anos

Carinhosa, generosa e de uma memória impecável. Das tantas aventuras, viajou até no tempo.

Gleci Eleni Baum Dias, 58 anos

Zelava os netos como o seu bem mais precioso.

Guilherme Machado Martins, 29 anos

Quando queriam dividir com ele algum segredo, aflição ou simplesmente um sonho, ele era todo ouvidos.

Hilda Menna Barreto Copello, 97 anos

Não importa qual fosse a refeição, nas mãos da doce Hilda, o prato mais simples virava um banquete.

Hilson Moreira da Silva, 62 anos

Jamais chegava na casa dos filhos de mãos vazias, fazia questão de levar a comida preferida de cada um.

Ignes Brusa Bordin, 79 anos

Dona Flor era puro amor. Na dança da vida sempre foi destemida e espirituosa.

Ilmar Ries Gomes, 53 anos

Um líder que viveu pelo seu filho.

Iracema Pauli, 76 anos

Levava amor até nos temperos.

Irineo Schirmer, 83 anos

Teve a capacidade de se reinventar várias vezes, inclusive após sua aposentadoria.

Itália Zaccaro Faraco, 103 anos

Iluminada feito o Renascimento, ela era quase o país homônimo. Mas era brasileira e não tinha fronteiras.

Ivo Bonzanini, 80 anos

Um gremista de coração. Amava um carteado e um churrasquinho em família.

Ivone Melo, 49 anos

Certa vez ela disse: "filha, lá no céu é sem explicação, é maravilhoso... e um dia eu sei que vou chegar lá."

Jaime Luís Cottens Ghisleni, 61 anos

Suas lágrimas sempre foram de alegria.

Jane da Silva Mattos, 54 anos

Se tem uma palavra que a descrevia, é dedicação.

Jane Marina Rosa, 62 anos

Foi fiel às pessoas que amava.

Jerônimo Luis Alvarenga da Fonseca, 63 anos

Jerônimo ria e fazia rir, amava contar piadas e espalhar palavras de amor e sabedoria.

João Batista Ramos de Freitas, 63 anos

Pai e avô amoroso, tinha um banco cativo na praça para conversar com o neto.

João Celso Zilio, 63 anos

Teve filhos, plantou uma árvore e escreveu o livro na memória de cada um que o conheceu.

João Gilberto dos Santos, 39 anos

Festeiro e de uma alegria única, adorava um baile e espalhava sorrisos por todos os lugares.

Joao Henrique Hoshter Nascimento, 53 anos

Para ele tudo se explicava, mas nada se justificava.

João Inácio Bieger, 60 anos

Seguiu todas as paixões sem plano nenhum, senão vivê-las: fosse como escoteiro ou advogado.

João Miguel de Oliveira, 68 anos

Carpinteiro gentil que construiu os brinquedos da infância do filho.

Joaquim Leal de Lima, 79 anos

Na vida simples do interior, cultivou a união da família e as amizades.

Jorge Roberto Barbosa dos Santos, 58 anos

Na curva da vida, uma fulgurante paixão que renovou a existência.

José Airo Lima dos Santos, 67 anos

Viveu com a certeza de que os dias difíceis tornam ainda melhores e mais brilhantes os dias felizes.

José Luiz Pozo Raymundo, 70 anos

Dedicado à sua profissão. O médico que conseguiu a proeza de trabalhar nos três clubes de futebol de Pelotas, apesar da forte rivalidade.

José Teodoro Gaspar, 65 anos

Chamava a todos de filho, tamanho o cuidado e generosidade com cada um que conhecia.

José Vicente de Oliveira Velo, 87 anos

Um dentista apaixonado pela profissão. Se sumia por um minuto do consultório, já sabiam onde o encontrar: na cafeteria.

Larissa Tarouco Mello, 22 anos

Torcedora do Grêmio, brilhava também em campo, seguindo seu grande sonho.

Leomar José Foscarini, 68 anos

Mesmo sendo o prefeito da cidade, gostava de ser chamado mesmo era de professor, o professor Kiki.

Leonilda Silva do Nascimento, 52 anos

Seu hobby era ir com a filha e a neta no shopping para tomar sorvete e ver a pequena se divertir nos brinquedos.

Lia Mara de Almeida Nunes, 55 anos

Sua risada gostosa sempre aparecia no meio de toda conversa.

Loreto Mauro Anflor, 81 anos

Um gremista reservado para quem a retidão de caráter, o trabalho e a honestidade eram primordiais.

Luciano Wendhausen, 47 anos

De presença leve e positiva, amava sair pedalando por aí, sonhando em voltar a surfar.

Luísa Teresinha Carvalho Becker, 74 anos

Sua alegria contagiante nunca será esquecida. Tinha o cheiro do Natal, sua festa preferida.

Luiz Carlos da Costa Mahlmann, 76 anos

Preocupado com as pessoas que estavam ao redor, cuidava delas como pai, que gostavam de tê-lo por perto.

Luiz Gustavo Herreira Morel, 49 anos

Um homem grato pela vida e pelas pequenas coisas.

Luiz Turcato, 77 anos

Da agricultura aos caminhões, lutou e viveu para a família. Um amor recíproco que deixa muita saudade.

Manoel Francisco Portella do Prado, 81 anos

Ele tinha gosto em compartilhar suas alegrias, de preferência, acompanhado por um bom chimarrão.

Mara Rúbia Silva Caceres, 44 anos

Uma enfermeira que adocicava almas.

Márcia de Freitas, 55 anos

"Mãezona" em casa e na escola e, independente, mesmo nas dificuldades.

Maria Aparecida Gavião Pacheco, 54 anos

Na hora de zelar pelo bem-estar dos filhos, era como uma onça protegendo os filhotes.

Maria Clara Silva dos Angelos, 90 anos

Uma mulher à frente de sua época, Maria Clara sonhou, realizou, nunca se entregou e ensinou muito aos seus descendentes.

Maria de Fátima Bassani, 65 anos

Uma colecionadora de adjetivos, que, como flores perfumadas, marcou seu jeito de existir.

Maria de Lourdes Diehl Gonçalves, 65 anos

Com um sorriso brilhante como o sol, não havia tristeza que seu abraço não curasse.

Maria Etelvina Goya Mattos, 73 anos

Enfrentou a vida com sabedoria, espalhou belos sorrisos e fez do amor sua maior comunicação.

Maria Laurinda de Paula, 74 anos

Devota fiel, acompanhava missas até pela TV.

Maria Léris Seitenfus, 58 anos

Seus versos ficarão eternizados.

Maria Lúcia Schneider, 71 anos

Com sua risada gostosa e os olhos azuis da cor do mar, era pura doçura.

Maria Roratto, 81 anos

Uma flor elegante que cuidava de todos e regava os sobrinhos com amor, como fazia com as rosas de seu jardim.

Maria Salí Ferreira Pereira, 78 anos

Esta doce e amada vovó foi o porto seguro de sua família.

Maria Tomazia da Rosa, 70 anos

A matriarca da família. Nas páginas da vida, eternizou histórias de amor, alegria e fraternidade.

Maricene da Silva, 52 anos

Sempre lutou para evoluir como profissional de enfermagem. Curtia samba e estar com a família e as amigas.

Marilene de Lima Zarembski, 46 anos

Religiosa e sempre preocupada em agradar as pessoas.

Marília Inês Speggiorin Celiberto, 82 anos

Apaixonada pela educação e saúde mental, sempre buscava resgatar o melhor de cada um através do aprendizado.

Maristela Mansilha Labrêa, 60 anos

Com sua luz e alegria, por onde foi floresceu.

Maristela Riva Knauth, 78 anos

Inconformada com a desigualdade, transformou vidas por meio da multiplicação do conhecimento.

Martina Silva da Silva, 72 anos

O nome dela era Martina, mas gostava de ser chamada de Vera. Amava estar em família e adorava uma pescaria.

Miguelina Almeida de Oliveira, 62 anos

Foi força, amor e resiliência em toda a sua vida. Uma mulher de coração gigante.

Moacir Fernandes de Moura, 63 anos

Gentileza e generosidade são as marcas que esse homem do campo deixou na vida de quem conviveu com ele.

Neida Santos do Nascimento, 70 anos

Ela adorava fazer suas caminhadas e comprar mudas de flores.

Nelson Antonio Schipper, 79 anos

Teve uma trajetória de muito suor e trabalho. Deixa como principal ensinamento o valor da honestidade.

Nelson Saraiva Peres, 67 anos

Voz potente que transmitia mensagens de carinho e afeto por onde passava.

Nereu Luiz Knauth, 81 anos

Eterno apaixonado, não deixava passar nenhuma data especial e nem a chance de elogiar a amada.

Neri Tamborena Martins, 58 anos

De sorriso sincero e alma solidária, foi bondade e amor.

Nevolanda de Oliveira, 64 anos

Será lembrada por sua disposição constante em animar as pessoas quando via que estavam tristes.

Noeli Oss Damásio, 54 anos

Uma vida dedicada à família.

Norival Fontanella, 84 anos

Um homem que representava a alegria.

Odilon Padilha, 58 anos

Doador de sangue e trabalhador dedicado, era cordial com todos.

Oniro da Silva Camilo, 58 anos

Gaúcho de Butiá. Gremista de grande coração.

Orlando de Jesus Ferreira, 68 anos

Ele viu anjinhos de luz voando ao seu redor na noite anterior à sua partida. Alguém duvida?

Osmar Rodrigues da Silva, 67 anos

A beleza da vida era um domingo na companhia de quem amava e seus cachorros, com música gaúcha e churrasco.

Osvaldino Domingos Prates, 70 anos

Um marceneiro tão forte quanto as madeiras com as quais trabalhava, e doce na mesma medida.

Paulo Alves, 71 anos

Um grande pai que tinha uma presença marcante, ensinava com suas histórias e queria ajudar a todos.

Paulo Fernando Silva de Souza, 47 anos

Trabalhador sério, pai e amigo brincalhão, cativava a todos com sua generosidade.

Paulo Walter de Andrade, 50 anos

Amava os quitutes preparados por sua irmã e, por isso, viva cercando suas panelas enquanto ela cozinhava.

Pedro Roberto de Mattos Siqueira, 44 anos

Pedro foi para Isadora o namorado perfeito por toda vida, aquele que só faltava adivinhar seus pensamentos.

Prazer Varela dos Santos, 93 anos

Os netos disputavam para ver quem ia dormir na casa dessa avó, tamanha era a diversão em estar com ela.

Rafael Carneiro de Lima, 34 anos

Apaixonado pela culinária, era o mestre do sabor na família.

Ramão Antônio Trindade da Silva, 57 anos

Carregava a sabedoria do bem viver e sempre dizia que "do amanhã ninguém sabia".

Reginaldo Bailer Wanderley, 75 anos

Amava andar de moto e beliscar o pão que sua esposa comprava na padaria.

Reni Renato Mota Martinez, 70 anos

Contido para demonstrar sentimentos, era dono de uma sabedoria e inteligência admiráveis.

Ricardo Jordani Teixeira, 37 anos

Carisma e simpatia com amigos e clientes.

Roger Wesley Ortiz, 21 anos

A alegria de viver era sua marca registrada.

Rosélia Medeiros do Amaral, 48 anos

Devotada à família e à religião.

Sandra Maria da Silva, 72 anos

Costureira, tricoteira, boleira. Foi múltipla também no cuidado com os filhos e no exercício da solidariedade.

Silvana Aparecida Rodrigues Pedrozo, 49 anos

Amiga alegre e parceira, gostava de festas e foi, sem dúvida, a melhor cozinheira da turma.

Sílvio Nazário dos Santos, 65 anos

Amante das artes, atencioso e sempre disposto a ajudar, era comprometido com tudo que fazia.

Sueli Terezinha da Silva Santos, 69 anos

Amante das coisas boas da vida, não perdia um jogo do Grêmio.

Ubirajara de Aguiar dos Santos, 68 anos

Ele era tão grande quanto a vida. Seu sorriso era espontâneo e em seu abraço sempre cabia mais um.

Valdir Marchesan, 74 anos

Jogador de canastra e contador de casos, sempre que voltava do clube trazia um chocolatinho para os netos.

Valdomiro Nunes Vieira, 84 anos

Pai zeloso, avô querido, trabalhador dedicado: não lhe faltavam qualidades.

Vlademir Alexandre Menegaz, 60 anos

Dono daquele abraço que todo mundo quer e precisa.

Welton Goularte Terres, 79 anos

Um médico à moda antiga, que via o paciente como um ser integral.

Zeneida Mendes de Lima, 84 anos

Forte e dedicada, era amante das flores e plantas. Mulher de fé, sempre aceitou as vontades de Deus.

Ziláh da Silveira Moraes, 83 anos

Doce, de riso fácil, tudo para ela virava brincadeira.

Zoraide Alves Martins, 73 anos

Zo abriu mão de sua própria vida para criar os sobrinhos com muito amor e dedicação.

não há quem goste de ser número
gente merece existir em prosa