INUMERÁVEIS

Memorial dedicado à história
de cada uma das vítimas do
coronavírus no Brasil.

Rio Grande do Sul

Abel da Cruz Neto, 61 anos

Criava chavões a cada oportunidade, cuidando do bem-estar alheio, que era sua especialidade.

Alice Maria Goulart de Morais, 70 anos

Eterna educadora, amante da vida e do samba.

Anna Norina Konzen, 88 anos

Mulher sincera e direta, tanto para mostrar carinho, quanto para expor suas dores.

Auri João dos Santos Ortiz, 51 anos

Empresário de alegria contagiante, fez, da sua empresa, lar de cães e gatos que adotou das ruas.

Benedito Melgarejo Saldanha, 52 anos

Imortal e fundador da Academia Porto Alegrense de Letras, era apaixonado por literatura e entusiasta de novos talentos.

Carlos Caetano Valduga, 74 anos

Apaixonado pela família e pelos animais, tinha a emoção nos olhos.

Celso Schreiber, 66 anos

Amava os seus, mas não queria ser chamado de avô. Decidiu, pois, que seria "parente" dos netos. E assim foi.

Clarice Terezinha Bastos Cardoso, 64 anos

Apaixonada pelos dois netos e pelos livros espíritas da autora Zíbia Gasparetto.

Clodoaldo Mate, 48 anos

Transformava tristeza e vazio em esperança e alegria.

Darci Debastiani, 66 anos

Apaixonado pelos netos, filhos e esposa. Gostava de passar as férias no balneário de Mariluz.

Delano Togni, 71 anos

Falar dele é como sentir a calma, a tranquilidade e a generosidade de um amigo de todas as horas.

Ederson Becker, 37 anos

Tratava a família como o bem mais importante da vida.

Edy Fetter Georg, 92 anos

Leitora voraz, cozinheira dedicada e cidadã solidária.

Eloy Fiebig, 75 anos

Ativa e participativa, deixa lição de vida comunitária.

Ernesto Antônio Barbosa, 89 anos

Sinônimo de garra e otimismo, ele era o Super-Homem da família. Sempre pronto para resolver qualquer problema.

Etelvino Ernesto Mezzomo, 64 anos

Homem calmo e humilde, preferia perder a ter conflito com os amigos.

Fernando Lindermayer, 74 anos

Tinha um sorriso de paz.

Flávio Prestes Loronha, 67 anos

Generoso e carinhoso, colocava a amizade na frente de tudo.

Gilmar Machado de Avila, 40 anos

Apaixonado pela cozinha e dono de um bom humor incrível.

Giselda Gusman de Lima, 90 anos

Carinhosa, generosa e de uma memória impecável. Das tantas aventuras, viajou até no tempo.

Gleci Eleni Baum Dias, 58 anos

Zelava os netos como o seu bem mais precioso.

Iracema Pauli, 76 anos

Levava amor até nos temperos.

Itália Zaccaro Faraco, 103 anos

Iluminada feito o Renascimento, ela era quase o país homônimo. Mas era brasileira e não tinha fronteiras.

Ivone Melo, 49 anos

Certa vez ela disse: "filha, lá no céu é sem explicação, é maravilhoso... e um dia eu sei que vou chegar lá."

Jane da Silva Mattos, 54 anos

Se tem uma palavra que a descrevia, é dedicação.

João Batista Ramos de Freitas, 63 anos

Pai e avô amoroso, tinha um banco cativo na praça para conversar com o neto.

João Celso Zilio, 63 anos

Teve filhos, plantou uma árvore e escreveu o livro na memória de cada um que o conheceu.

João Gilberto dos Santos, 39 anos

Festeiro e de uma alegria única, adorava um baile e espalhava sorrisos por todos os lugares.

Joao Henrique Hoshter Nascimento, 53 anos

Para ele tudo se explicava, mas nada se justificava.

Joaquim Leal de Lima, 79 anos

Na vida simples do interior, cultivou a união da família e as amizades.

Larissa Tarouco Mello, 22 anos

Torcedora do Grêmio, brilhava também em campo, seguindo seu grande sonho.

Luiz Gustavo Herreira Morel, 49 anos

Um homem grato pela vida e pelas pequenas coisas.

Luiz Turcato, 77 anos

Da agricultura aos caminhões, lutou e viveu para a família. Um amor recíproco que deixa muita saudade.

Mara Rúbia Silva Caceres, 44 anos

Uma enfermeira que adocicava almas.

Márcia de Freitas, 55 anos

"Mãezona" em casa e na escola e, independente, mesmo nas dificuldades.

Maria Etelvina Goya Mattos, 73 anos

Enfrentou a vida com sabedoria, espalhou belos sorrisos e fez do amor sua maior comunicação.

Maria Laurinda de Paula, 74 anos

Devota fiel, acompanhava missas até pela TV.

Maria Léris Seitenfus, 58 anos

Seus versos ficarão eternizados.

Maria Tomazia da Rosa, 70 anos

A matriarca da família. Nas páginas da vida, eternizou histórias de amor, alegria e fraternidade.

Martina Silva da Silva, 72 anos

O nome dela era Martina, mas gostava de ser chamada de Vera. Amava estar em família e adorava uma pescaria.

Neida Santos do Nascimento, 70 anos

Ela adorava fazer suas caminhadas e comprar mudas de flores.

Nelson Antonio Schipper, 79 anos

Teve uma trajetória de muito suor e trabalho. Deixa como principal ensinamento o valor da honestidade.

Odilon Padilha, 58 anos

Doador de sangue e trabalhador dedicado, era cordial com todos.

Paulo Fernando Silva de Souza, 47 anos

Trabalhador sério, pai e amigo brincalhão, cativava a todos com sua generosidade.

Rafael Carneiro de Lima, 34 anos

Apaixonado pela culinária, era o mestre do sabor na família.

Reni Renato Mota Martinez, 70 anos

Contido para demonstrar sentimentos, era dono de uma sabedoria e inteligência admiráveis.

Ricardo Jordani Teixeira, 37 anos

Carisma e simpatia com amigos e clientes.

Sandra Maria da Silva, 72 anos

Costureira, tricoteira, boleira. Foi múltipla também no cuidado com os filhos e no exercício da solidariedade.

Sílvio Nazário dos Santos, 65 anos

Amante das artes, atencioso e sempre disposto a ajudar, era comprometido com tudo que fazia.

Sueli Terezinha da Silva Santos, 69 anos

Amante das coisas boas da vida, não perdia um jogo do Grêmio.

Valdir Marchesan, 74 anos

Jogador de canastra e contador de casos, sempre que voltava do clube trazia um chocolatinho para os netos.

Valdomiro Nunes Vieira, 84 anos

Pai zeloso, avô querido, trabalhador dedicado: não lhe faltavam qualidades.

Welton Goularte Terres, 79 anos

Um médico à moda antiga, que via o paciente como um ser integral.

não há quem goste de ser número
gente merece existir em prosa